"O futuro do Benfica passará pela formação, vamos ter um Benfica com identidade própria", lançou Vieira, antes do jantar comemorativo do 15.º aniversário da sua chegada à presidência, acrescentando que daqui a três anos o plantel principal de futebol masculino vai contar com "80% a 90% dos jogadores" formados no Benfica.

"Não sairei do Benfica sem ser campeão europeu", vincou o líder das águias, reforçando: "O título europeu tem de ser uma realidade para nós. Queremos ser campeões europeus".

Durante o seu discurso, Vieira recordou alguns episódios caricatos relacionados com a construção do novo Estádio da Luz, tecendo rasgados elogios a Mário Dias, antigo vice-presidente do clube responsável pelo património, que considerou como o grande responsável pelo avanço do projeto do novo estádio, que foi estreado em outubro de 2003, seis dias antes da primeira eleição de Vieira.

Vieira considerou que a nova Luz devolveu a autoestima dos benfiquistas e interrompeu um longo jejum de títulos de um clube habituado a estar no topo do futebol português e europeu.

"A Luz foi a peça fundamental para todo o crescimento do Benfica", atirou o dirigente, que também endereçou palavras de apreço à entrada no clube de Domingos Soares de Oliveira, administrador executivo da SAD encarnada, e a toda a estrutura profissional da entidade.

Vieira também apontou para o salto qualitativo dado ao nível da formação de jovens futebolistas após a construção do centro de estágios no Seixal.

"Será ali o futuro do Benfica", assinalou, falando no projeto de expansão deste complexo desportivo e da construção de um centro de alto rendimento (CAR) para as modalidades, em Oeiras.

Paralelamente, o presidente abordou a questão do endividamento, destacando a evolução positiva que tem sido conseguida.

"Nós hoje estamos livres de hipotecas e temos um objetivo claro: queremos que o Benfica deixe de ter dívida", realçou.

Sobre o tema, Vieira falou sobre a intenção de promover uma revisão estatutária que permita "limitar o endividamento a qualquer direção".

Segundo o responsável, o Benfica "não pode repetir os erros do passado".

Vieira destacou também o crescimento das Casas do Benfica, a proteção das antigas glórias do clube, e a estabilidade ao nível da direção.

"Era natural que com tantos processos [judiciais] alguém quisesse fugir. Mas essas tristes notícias fortaleceram-nos mais ainda. Às vezes parece que somos de ferro", sublinhou.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.