De acordo com a decisão do tribunal de recurso, a médica incorreu em negligência agravada quando decidiu não iniciar de imediato as manobras de reanimação ao jogador, que caiu inanimado no relvado em 5 de maio de 2016, durante um jogo entre a sua equipa, o Dínamo de Bucareste, e o Viitorul Constanta, do campeonato romeno.

O tribunal, cuja decisão não é passível de recurso, confirmou a sentença imposta em junho, quando a médica foi condenada em primeira instância a uma pena suspensa de 18 meses, convertida em trabalho comunitário por igual período.

A autópsia ao médio camaronês, de 26 anos, que cumpria a primeira época ao serviço do Dínamo, revelou problemas cardíacos graves.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.