O piloto da KTM terminou a cerca de um segundo do italiano Luca Marini, irmão de Valentino Rossi, um resultado insuficiente para levar a discussão do título até à derradeira corrida da temporada, em Valência, devido ao terceiro lugar do italiano Francesco Bagnaia, novo campeão, numa Kalex da Sky Racing.

"Estou orgulhoso da época que fiz. O 'Pecco' [Bagnaia] esteve muito forte ao longo do ano. Foi muito difícil de bater na maior parte das vezes. Era uma questão de um de nós cometer um erro, o que não aconteceu, pois nunca ficámos fora do top10. Estive consistente ao longo da época mas o nosso conjunto não foi suficiente para bater o 'Pecco'", sublinhou Miguel Oliveira no final da corrida.

Oliveira, que nesta corrida não teve apoio do colega de equipa, o sul-africano Brad Binder, precisava de vencer e esperar que Bagnaia fosse pelo menos terceiro classificado.

Assim, ficou a 32 pontos do italiano da equipa de Valentino Rossi quando ficam 25 pontos em disputa na última prova.

Depois do segundo lugar em 2015 no Mundial de Moto3, Miguel Oliveira volta a ser vice-campeão mundial.

[Notícia atualizada às 11h36 - Inclui declarações de Miguel Oliveira]

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.