O médico Daniele Zaccaria explicou que Landa, que liderava a Bahrain antes de ter sofrido uma queda violenta na quinta etapa, na quarta-feira, fez novos exames que voltaram negativos, pelo que embarcou num voo de regresso a casa.

Na quarta-feira à noite, a equipa deu conta de uma fratura na clavícula esquerda e de várias costelas, e é à primeira das fraturas que será operado, após um voo privado de Rimini para Vitoria, na região do País Basco.

O basco, um dos ciclistas de ‘culto’ do pelotão atual, que foi terceiro no Giro em 2015 e quarto em 2019, será operado em Madrid e, “depois da cirurgia, começará todo o tratamento necessário para uma rápida e segura recuperação”, garantiu Zaccaria.

Na quarta-feira, além de Mikel Landa, um dos grandes favoritos à vitória final, também o russo Pavel Sivakov (INEOS), outro dos nomes fortes desta Volta a Itália, desistiu na sequência de uma das quedas na aproximação a Cattolica.

Esta manhã, foi a vez de o líder da montanha, o norte-americano Joe Dombrowski (UAE Emirates), que caiu com Landa, abandonar, após ser-lhe detetada uma concussão cerebral.

Hoje, a sexta etapa liga Grotte di Frasassi a Ascoli Piceno em 160 quilómetros, com chegada em alto e traçado acidentado, antevendo-se mais mexidas nos primeiros postos da classificação geral, liderada pelo italiano Alessandro de Marchi (Israel Start-Up Nation) e na qual Nelson Oliveira é terceiro, a 48 segundos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.