Ao todo, são 14 os títulos mundiais, e 20 as medalhas, conquistados por Biles, de 21 anos, reforçando o estatuto de grande figura em Doha, com quatro ouros, além de uma prata e um bronze.

Depois de vitórias no salto, além do concurso completo e a mesma especialidade por equipas, o novo título reforça o recorde de títulos mundiais, 11 dos quais conquistados em finais individuais.

A ginasta de Columbus ficou em terceiro lugar na trave, atrás da chinesa Liu Tingting, nova campeã, e da canadiana Anne-Marie Padurariu, segunda com apenas 16 anos.

No último dia, disputaram-se as duas últimas finais individuais femininas, em que Biles venceu uma e acabou em terceiro noutra, além de três provas masculinas.

Na barra fixa, o título foi para o holandês Epke Zonderland, campeão do mundo pela terceira vez nesta modalidade, batendo o japonês Kohei Uchimura e o norte-americano Sam Mikulak.

Nas paralelas, o chinés Zou Jingyuan revalidou o título que já tinha conseguido em 2017, enquanto o ucraniano Oleg Verniaiev também repetiu a segunda posição do ano passado.

No terceiro lugar ficou o russo Artur Dalaloyan, campeão de solo e do concurso completo em Doha, sendo que no salto o título foi para o norte-coreano Ri Se-gwang, de 33 anos, na terceira ‘coroa’ mundial, que se junta ao título olímpico em 2016.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.