Quatro anos e meio depois de um arranque falhado na corrida ao Mundial Rússia 2018, com um desaire por 2-0 na Suíça, a formação das ‘quinas’ não podia ‘tropeçar’ no mais frágil dos adversários no agrupamento e conseguiu mesmo o triunfo.

Na casa da Juventus, que a emprestou a Portugal para a equipa lusa fugir aos constrangimentos da pandemia da covid-19, um caricato autogolo de Maksim Medvedev, aos 37 minutos, salvou uma exibição demasiado pobre dos comandados de Fernando Santos.

Ainda assim, Portugal retomou o caminho dos triunfos a abrir qualificações para o campeonato do Mundo, repetindo o que conseguiu no primeiro jogo de apuramento para as edições de 1962, 1966, 1970, 1974, 1986, 1990, 2002, 2006, 2010 e 2014.

Apesar de ter começado bem nestes 10 apuramentos, em quatro situações os triunfos no arranque não conduziram ao apuramento, já que Portugal não esteve no Chile (1962), no México (1970), na RFA (1974) e em Itália (1990).

Na maioria das ocasiões em que venceu a abrir, Portugal logrou, porém, o apuramento, disputando as fases finais das edições de Inglaterra (1966), México (1986), Coreia do Sul e Japão (2002), Alemanha (2006), África do Sul (2010) e Brasil (2014).

Curiosamente, só na primeira vez que se qualificou é que o triunfo foi, como desta vez, conseguido em casa, se bem que o jogo de hoje tenha sido deslocalizado do Estádio José Alvalade, em Lisboa, para o Juventus Stadium, em Turim.

Então, em 24 de janeiro de 1965, no Estádio Nacional, a formação das ‘quinas’ goleou a Turquia por 5-1 e viria a alcançar o Mundial de 1966, no qual conseguiu, na estreia, um terceiro lugar que ainda é hoje a sua melhor classificação de sempre.

O ‘rei’ Eusébio foi a grande figura desse encontro, ao conseguir um ‘hat-trick’, ele que seria o grande ‘herói’ dos ‘magriços, com mais quatro golos na qualificação e nove na fase final, para se sagrar o melhor marcador.

Os também malogrados Coluna e Jaime Graça apontaram os outros tentos da seleção das ‘quinas’, que também se superiorizou no agrupamento a checoslovacos e romenos.

Os outros triunfos que conduziram a apuramentos aconteceram fora, perante Suécia (Mundial de 1986), Estónia (2002), Letónia (2006), Malta (2010) e Luxemburgo (2014).

Portugal bateu os suecos por 1-0, com um golo de Fernando Gomes, a Estónia por 3-1, com golos de Rui Costa, Figo e Sá Pinto, a Letónia por 2-0, com tentos de Ronaldo e Pauleta, Malta por 4-0, selado por um autogolo, Hugo Almeida, Simão e Nani, e o Luxemburgo por 2-1, com novo tento de Ronaldo e um de Hélder Postiga.

Pelo contrário, para nada serviram o 6-0 ao Luxemburgo, o 3-0 a Roménia, o 4-0 ao Chipre e o 1-0 ao Luxemburgo, nos arranques das campanhas para 1962, 1970, 1974 e 1990, respetivamente.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.