A luta, que vai ser sancionada pela Comissão de Atletas do Estado de Nevada, será uma combate de boxe profissional, o que significa que se Mayweather Jr. ganhar, será o primeiro lutador da modalidade a atingir registo de 50-0. Escreve o jornalista Ariel Helwani que este combate "misto" é o mais aguardado desde aquele que opôs Muhammad Ali a Antonio Inoki, em junho de 1976.

Mayweather Jr. (49-0), considerado um dos melhores praticantes de boxe de todos os tempos, anunciou que se iria reformar após levar de vencido Andre Berto, em setembro de 2015. No entanto, recentemente, expressou que estava disposto a voltar ao ringue, mas apenas e só numa condição: defrontar o irlandês Conor McGregor.

McGregor (0-0 no boxe, 21-3 no MMA), atual campeão da categoria de Peso-Leve (70kg) do UFC, nunca entrou em qualquer combate profissional de boxe, mas é considerado um dos melhores lutadores de artes marciais mistas do mundo. Em novembro último fez história, quando derrotou Eddie Alvarez para se tornar o primeiro lutador a ser campeão em duas classes de peso diferentes, simultaneamente. Desde então, o UFC retirou-lhe o título da categoria de Peso-Pena (66kg), devido à inatividade naquela divisão.

Mayweather, 40 e McGregor, de 28 anos, estão a promover este combate fora do ringue há quase um ano, com os dois lutadores a trocarem vários "galhardetes" entre si nas redes sociais. Contudo, durante algum tempo, este combate parecia que não passava de um sonho e uma ilusão para os fãs de ambos os lutadores. Até que McGregor permaneceu firme no seu desejo de desafiar o boxer invicto.

"É a luta a fazer", disse McGregor em janeiro. "É a luta que as pessoas querem. É a luta que eu quero. Tenho o alcance. Tenho a juventude. Tenho confiança. Tenho o estilo imprevisível. Alguém chegou a dizer-me: para quê conquistar um mundo quando podes conquistar dois? Assim, vou à procura de os conquistar", disse o irlandês.

Em março, enquanto acompanhava o companheiro irlandês Michael Conlan na sua estreia profissional no circuito do boxe, McGregor entrou em erupção com um jornalista, sentando ao pé do ringue.

"Ninguém neste mundo do boxe sabe o que está por vir", disse-lhe. "Acredita no que te estou a dizer. Quando entrar lá, vou meter este mundo todo em estado de choque. Acredita em mim! Olha-me nos olhos. Vinte e oito anos de idade, confiante como um filho da mãe. Longo, arrogante, perigoso com as duas mãos! Acredita em mim! Vou parar o Floyd e todos vocês [jornalistas que não acreditam na sua vitória sobre o norte-americano] vão engolir as vossas palavras! O mundo inteiro vai ter que engolir estas palavras".

Ainda não se sabe quanto é que vai ser a bolsa (dinheiro) que McGregor deverá fazer, mas será com quase toda a certeza a luta mais lucrativa da sua carreira.

A esta altura também não se sabe quanto vai custar este pay-per-view ou se vão existir outros combates no cartaz, pois os detalhes do acordo ainda não foram anunciados. Certo e sabido, no entanto, é que a comissão de Nevada aprovou a data de 26 de agosto para a Mayweather Promotions (promotora do Floyd Jr.) esta quarta-feira durante a sua reunião mensal.

Quem são Mayweather e McGregor?

Floyd Mayweather é considerado um dos maiores nomes de sempre do boxe mundial e frequentemente considerado o melhor lutador da modalidade “peso-por-peso” (ranking que aglomera os melhores atletas entre as várias categorias). Profissional ao mais alto nível praticamente durante vinte anos (de 1996 a 2015), foi campeão mundial em cinco categorias diferentes e tem um recorde de 26 vitórias e zero derrotas em combates em que defendia o título de campeão. Em 2015, foi considerado pela revista Forbes como o atleta mais bem pago do mundo.

Já Conor McGregor é um lutador de MMA (desporto de combate que combina várias modalidades de combates, do jiu jitsu ao muay thai, do judo ao boxe, etc.) que vem da Irlanda e que é conhecido pelo estilo e postura extravagante com que desafia os adversários. "The Notorious", como é apelidado, é considerado um dos melhores lutadores em atividade e dos rostos mais reconhecidos das artes marciais mistas. Dentro do octógono, dificilmente se consegue escapar ao seu carisma e irreverência. Fora dele, é um pouco como José Mourinho e os seus famosos mindgames: pode-se ou não gostar, mas ninguém fica indiferente.

Esta luta pode significar um dos maiores PPV (pay-per-view, que significa pagar-para-ver e corresponde ao sistema utilizado por várias operadoras que permitem que se pague para assistir a um conteúdo específico) de todos os tempos. E se Mayweather é o rei dos PPV no bastante lucrativo mundo do boxe, McGregor bate recordes, uns atrás dos outros, no UFC (sigla para o Ultimate Fighter Championship, principal promotor de MMA - Mixed Martial Arts/Artes Marciais Mistas - no mundo).

Os rumores de um combate entre Mayweather e McGregor há muito que fazem correr tinta nos media e no círculo dos desportos de combate. São ambos campeões de popularidade e contam ambos com um currículo de respeito nas respetivas modalidades.

Se Conor sabe gerir a carreira como ninguém, Mayweather tem uma autentica máquina de promoção por detrás que alavanca a sua imagem de uma maneira capaz de gerar receitas no boxe que estão ainda muito acima do MMA. A UFC existe há pouco mais de 20 anos e está a conquistar uma grande fatia do mercado, mas continua a ser um "bebé" quando comparado com o boxe, com os seus eventos a ficarem ainda longe de conseguir gerar os 100 milhões de dólares que Mayweather recebeu para combater contra Manny Macquiao em 2015. Contra Berto (o seu último combate), o norte-americano ganhou 32 milhões de dólares. Em comparação, Conor McGregor ganhou "apenas" 3 milhões de dólares naquela que foi a sua luta mais lucrativa, o segundo combate contra Nate Diaz, organizado pela UFC. (Na verdade, este montante não inclui a percentagem dos ganhos com a subscrição dos PPV que cabe ao lutador irlandês, o que incrementa bastante o valor recebido pela luta).

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.