Se o líder tem sete pontos de vantagem, entre o segundo e o oitavo, são apenas cinco pontos de diferença. Neste bolo, estão Atlético-MG, Flamengo, Grêmio, Fluminense, Internacional, Palmeiras e Santos. Destes, Fluminense e Santos não parecem ter força de plantel para tirar a diferença de 12 pontos para a liderança. E o Internacional, órfão após a saída de Coudet, ainda não se acertou com o novo treinador, Abel Braga, e parece não ter mais chances também.

Os demais, Galo e Flamengo, pela constância até aqui são os principais concorrentes. E, Palmeiras e Grêmio, por força de elenco e desempenho recente, podem ser considerados como ameaça. Vamos então ao caminho de cada clube nas próximas 14 jornadas de Brasileirão.

Todas as tabelas contêm o intervalo entre jogos (algumas equipas jogam 18 jogos em 73 dias, podendo ser mais se passarem de fase na Libertadores ou Copa do Brasil), as datas, e o adversário, o mando de campo (se joga em casa ou fora). A verde, os jogos em que são favoritos à vitória, a amarelo os jogos mais complicados, ou os pontos de atenção, e a azul, os confrontos diretos pela corrida à taça.

São Paulo

Líder e embalado, o Tricolor Paulista não perde há 18 jogos. Tem 69% de aproveitamento até aqui e é o único que depende só de si. Pode, ainda, tropeçar duas vezes que tem gordura para queimar. Mas tem, pela frente, uma tabela bastante complicada com quatro confrontos diretos e muitos clássicos regionais.

Conta com a vantagem que já abriu e com a Libertadores e Copa do Brasil para tirar o foco de Palmeiras e Grêmio. Terá que superar a tabela favorável de Flamengo e Atlético-MG e pontuar nos confrontos diretos.

São 17 jogos, sendo oito considerados difíceis ou confrontos diretos. O São Paulo disparou e aproveitou uma sequência mais fácil para alcançar a liderança, mas vinha mostrando bom desempenho contra os rivais da parte de cima da tabela e vai precisar manter a consistência para chegar lá. Como vantagem, enfrenta a maioria dos rivais diretos em casa. 

Historicamente, a média de 77 pontos é suficiente para ser campeão e não parece que ninguém vá repetir a sequência do Flamengo do ano passado e passar dos 80 pontos. Portanto, o São Paulo pode até ter um aproveitamento menor do que os 69% que tem agora e chegar ao título.

Flamengo

O principal postulante ao título, no início do campeonato, sempre foi o Flamengo. Brilhante em 2019 e oscilando em 2020, o time ainda não demonstrou a segurança para repetir a performance do ano passado. Mas, com a qualidade do plantel que tem, é a única equipa que parece capaz de engatar uma sequência de vitórias para tirar esta diferença. 

Terá uma série de jogos fáceis até começar a enfrentar os rivais diretos e terminará o campeonato contra o São Paulo, em fevereiro. Portanto, deve crescer em aproveitamento nos próximos jogos e se aproximar. O Flamengo, e o Atlético-MG, ainda contam com a vantagem de não ter outras competições e ter o menor número de jogos daqui até o fim da temporada.

Atlético-MG

Vencido o surto de Covid-19, é a hora de vencer também a variação no rendimento em campo para voltar a sonhar com a taça. A equipa de Sampaoli chegou a liderar com folga e agora precisa correr atrás do prejuízo. No ano passado, no comando do Santos, o treinador argentino também passou por um período 

Vai enfrentar muitos rivais da parte de baixo da tabela e de precisa melhorar a conversão de oportunidades para vencer defesas fechadas. Não enfrenta mais o Flamengo e terminará, contra o Palmeiras, o campeonato. Tem tudo para ter um bom numero de pontos ganhos e precisará 'secar' o São Paulo.

Grêmio

O seu treinador, Renato Gaucho, costuma rodar o plantel e jogar muitas partidas com reservas. Isso fez com que Grêmio ficasse para trás na classificação, mas tem funcionado nos últimos jogos. São nove jogos de invencibilidade no Brasileirão e a equipa vem embalada.

Entretanto, ainda disputa a Libertadores (quartos de final contra o Santos) e a Copa do Brasil (meias finais contra o São Paulo) e tem muitos jogos até o fim da temporada. Enfrenta os principais rivais em casa e, se não perder pontos 'tolos' nos jogos fáceis, pode escalar na tabela. Leva a vantagem de ter apenas um rival local, mas o Gre-Nal será fundamental para as aspirações tricolores.

Palmeiras

Mesmo mais distante da liderança da classificação, o Palmeiras tem um plantel qualificado e aposta em Abel Ferreira para repetir o efeito JJ. Tem equipa para isso e uma sequência bastante confortável na reta final da competição. 

As baixas por Covid-19 ou lesão, a Copa do Brasil e Libertadores, podem custar pontos importantes nas próximas semanas. Se chegar na reta final bem colocado, terá a chance de buscar a diferença nos confrontos diretos. Não será fácil, mas não é impossível.

A reta final vai pegar fogo. A pandemia atrapalhou o calendário mas tornou a competição na mais equilibrada dos últimos anos. E haja coração para o torcedor até fevereiro.

Vai ser emocionante.  

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.