“Fiz a pré-época toda em piso rápido, superfície em que já competi em Pune [Índia] e ainda vou jogar em Sydney. Gostei do encontro que fiz na semana passada [contra o letão Ernests Gulbis], embora ainda tenha de aprimorar as subidas à rede que, em piso rápido, surgem mais vezes”, disse Pedro Sousa à agência Lusa.

O número dois português e 104º classificado ATP reconheceu que ainda precisa de “competir mais algumas horas para desenvolver o jogo neste tipo de piso”, mas considerou que está "no caminho certo para chegar em boas condições a Melbourne", para disputar a primeira prova do Grand Slam de 2019.

Apesar da derrota em três ‘sets’ no primeiro encontro disputado nesta época, no ATP 250 de Pune, Pedro Sousa mostrou-se satisfeito com o nível de forma que está a adquirir e "entusiasmado por poder jogar, pela primeira vez, um quadro principal de um Grand Slam", na Austrália.

"Foi uma ótima notícia para começar o ano. Há algum tempo que estava à porta e, finalmente, confirmou-se. Ainda para mais depois de um ano muito duro, em que terminei no limite e não sabia se entraria ou não. Acabei por entrar e estou muito contente", confessou o lisboeta, de 30 anos, que está em Sydney acompanhado de Rui Machado, capitão da seleção nacional da Taça Davis.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.