Artem Severiukhin, piloto russo de karting de 15 anos, venceu a primeira corrida do Europeu de Karting, em Portimão, e no pódio, ladeado pelo segundo e terceiro classificados, o britânico Joe Turney e sueco Oscar Pedersen, decidiu celebrar com uma saudação nazi.

O jovem, que não foi afastado das competições pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA), uma das sanções levadas a cabo pela associação depois da Rússia ter invadido a Ucrânia, por estar a competir com uma licença italiana, fez a saudação romana quando começou a tocar o hino de Itália, seguindo-se um riso descontrolado.

O vídeo do momento começou a correr a Internet até, inevitavelmente, chegar à FIA que confirmou ter aberto uma investigação imediata à "conduta inaceitável de Artem Severiukhin que ocorreu na cerimónia do pódio da Ronda 1 da categoria OK do Campeonato Europeu de Karting que se realizou no Kartódromo Internacional do Algarve, em Portugal".

A "FIA irá comunicar em breve os próximos passos que serão tomados em relação a este caso”, anunciou a Federação.

Já a Ward Racing, equipa sueca pela qual o piloto corria, "profundamente envergonhada pelo comportamento do piloto que condena de forma veemente", demarcou-se da atitude do atleta, ao mesmo tempo que anunciou a rescisão de contrato com Severiukhin.

"A Ward Racing condena as ações pessoais do piloto Artem Severyukhin durante a cerimónia de entrega de prémios a 10 de abril de 2022 nos termos mais fortes possíveis, uma vez que as considera uma manifestação de comportamento antidesportivo, uma violação inaceitável do código desportivo ético e moral. Com esta declaração, a Ward Racing expressa a sua opinião, bem como a opinião de todos os atletas e funcionários da equipa Ward Racing. Com base nestas considerações, a Ward Racing não vê qualquer possibilidade para continuar a cooperação com Artem Severyukhin e irá prosseguir com a rescisão do seu contrato de corrida", anunciou a equipa nas redes sociais.

Já esta segunda-feira, o jovem piloto gravou e publicou um vídeo nas redes sociais onde pediu desculpa pelo sucedido e recusou a ideia de que o gesto estivesse associado a qualquer ideologia nazi ou fascista.

“Sei que me comportei como um tolo, estou pronto a pagar por isso mas quero que acreditem que as minhas ações não tiveram qualquer objetivo de apoiar o nazismo ou o fascismo. Peço desculpa a todos pelo sucedido”, disse Artem no vídeo.

Artem Severyukhin tem como principal apoio o programa SMP Racing, cujo grande patrocinador é a Gazprom. No futebol, a empresa de energia estatal russas, sentiu peso das sanções, nomeadamente com o cancelamento da final da Liga dos Campeões deste ano, que iria ocorrer no estádio do Zenit, em São Peteresburgo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.