“Somos um município de marinheiros, de terra do mar e da ria, de luta, de objetivos, por muita persistência e muita resiliência. E acho que esta vitória foi isso mesmo, uma luta, uma força interior, uma marca de Ílhavo de uma terra marinheira que vai para o mar e para a ria. Aqui, neste caso, foi para Braga e trouxeram aquilo que todos ansiavam”, disse o autarca.

Fernando Caçoilo falava nos Paços do Concelho, ao final da tarde, onde a comitiva do Illiabum foi recebida em euforia por dezenas de adeptos, que cantavam “nós acreditámos em vocês”.

No seu discurso, o presidente da Câmara fez questão de assinalar as diferenças entre o Illiabum e o Benfica - o finalista vencido - adiantando que de um lado estava “um clube com um autocarro ‘xpto’, com orçamentos brutais”, e do outro, “um clube que ganhou, que marcou mais pontos, com as carrinhas de nove lugares”.

Na mesma ocasião, o presidente do clube, Pedro Rosa Novo, disse que sentia um “orgulho enorme”, lembrando as diversas contrariedades que aconteceram durante a época.

“Tivemos lesões, problemas com legalizações de estrangeiros, tudo nos aconteceu este ano. Tivemos esta recompensa. É obvio que a gente tem sempre a esperança. Sabíamos que era difícil, mas eu sempre acreditei”, disse o dirigente.

O treinador do Illiabum, Pedro Monteiro, realçou o trabalho “incrível” feito pelos seus jogadores, considerando que “tiveram uma excelente atitude e um grande caráter”.

“Jogaram no limite. Muitos deles, quando chegaram à final, fisicamente tocados, alguns - não vou dizer esgotados -, mas bastante cansados. Mas, penso que representámos bem a cidade, o nosso clube e as gentes de Ílhavo”, afirmou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.