“O objetivo é prolongar a minha carreira e continuar a fazer aquilo que me deixa mais feliz, que é competir ao mais alto nível e lutar pelos meus objetivos pessoais e profissionais. O facto de haver duas semanas entre Roland Garros e Wimbledon não ajuda o meu corpo a recuperar. Foram dois meses muito duros”, justificou o número três mundial.

O esquerdino de Manacor, de 35 anos, que defendia o 13.º título do ‘major’ francês, ficou pelas meias-finais na ‘catedral’ da terra batida, ao perder frente ao sérvio Novak Djokovic, e, no final, deixou em aberto a possibilidade de não marcar presença em Londres, o que veio a confirmar hoje.

Rafael Nadal detém o recorde de 20 títulos do Grand Slam, partilhado com o suíço Roger Federer, tendo triunfado em Wimbledon em 2008 e 2010, e foi campeão olímpico de singulares em 2008 e de pares em 2016.

Apesar de ter anunciado a retirada temporária, o antigo número um mundial não revelou quando pretende voltar aos ‘courts’ para competir.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.