O Real Madrid C.F anunciou, em comunicado no seu site oficial, que vai mover uma ação legal contra o Correio da Manhã por considerar que o jornal publicou esta quarta-feira, dia 10 de outubro, uma notícia com "informação falsa" (conteúdo exclusivo para assinantes) que mancha a "imagem do clube".

“O Real Madrid não tinha conhecimento dos factos (alegado encontro de Ronaldo com Kathryn Mayorga em Las Vegas) referidos pelo jornal em relação ao jogador Cristiano Ronaldo e, por isso, não poderia exercer qualquer ação sobre o que desconhecia totalmente”, lê-se no comunicado dos ‘merengues’, que acrescenta ter “exigido uma retificação total por parte do jornal”.

Na quarta-feira, o Correio da Manhã, citando fonte próxima do processo, noticiou que o agora futebolista da Juventus foi pressionado pelo Real Madrid para assinar o acordo de confidencialidade à norte-americana Kathryn Mayorga, que acusou Cristiano Ronaldo de violação.

Em declarações à TSF, o diretor-executivo do Correio da Manhã, Carlos Rodrigues, indicou que a direção do jornal está de "consciência absolutamente tranquila" acrescentando que a informação recolhida para a notícia "foi previamente confirmada pelo jornal antes da publicação".

Kathryn Mayorga, agora professora, com 34 anos, apresentou queixa contra o avançado internacional português num tribunal do condado de Clarck, Las Vegas, no estado norte-americano do Nevada.

A queixosa alega que, em 2009, foi violada pelo agora jogador da Juventus num quarto de hotel em Las Vegas, ao qual terá subido, junto com outras pessoas, para apreciar a vista e a banheira de hidromassagem.

A suposta vítima relatou que Cristiano Ronaldo a terá interpelado enquanto trocava de roupa e a terá forçado a sexo anal – no fim, conta, o português ter-se-á desculpado e dito que costuma ser um cavalheiro.

O caso foi divulgado pela revista alemã Der Spiegel, em 28 de setembro, na primeira vez que Kathryn Mayorga falou sobre o caso - a história já tinha sido revelada em 2017, em documentos difundidos pela plataforma digital Football Leaks.

Kathryn Mayorga conta ainda que na altura terá sido coagida a assinar um acordo de confidencialidade a troco de cerca de 325.000 euros (375.000 dólares), assentimento que os seus advogados consideram não ter valor legal.


Notícia atualizada às 15:04 com novo título e às 15:15 com as declarações do diretor-executivo do Correio da Manhã à TSF.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.