A investigação foi levada a cabo pelo Jornal de Notícias (JN), que consultou os regulamentos de vários clubes de futebol nacionais e concluiu que, apesar dos futebolistas concordarem “com as limitações quando assinam os contratos”, há regras que parecem “no limite, chocar com as leis do trabalho”.

A notícia não especifica quais os clubes consultados nem as regras especificamente impostas em cada clube, mas indica que destas imposições passam pela “obrigatoriedade de pernoitar na respetiva residência e de comunicar ao clube uma eventual mudança de morada”.

Para além disso, o JN diz ainda que há instituições que também proíbem os jogadores de “viajar para lá de um raio de 50 quilómetros da sua residência, sem autorização prévia dos dirigentes” ou de fazê-lo numa viatura que não seja pertencente ao clube.

A questão dos regulamentos tornou-se um tópico de discussão depois do treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, ter afastado Marchesín, Uribe, Luis Diáz e Saravia do jogo com o Boavista, que decorreu neste domingo, reduzindo a convocatória de 23 para 19 jogadores.

Em causa esteve alegada comparência dos quatro jogadores na festa de aniversário de Cindy Alvárez García, mulher de Uribe, até às cinco da manhã, violando o horário do recolher obrigatório, estipulado para as 23:00, que se encontra no regulamento disciplinar do clube.

Esta polémica tornou-se pública porque os jogadores visados foram vistos em vários vídeos partilhados através da conta de Instagram da aniversariante durante as festividades.

Como consequência desta controvérsia, avança a mesma publicação que “há clubes que se preparam para acrescentar limites às regras de utilização das redes sociais”.

O caso caiu especialmente mal no clube porque decorreu na ressaca da derrota dos azuis e brancos frente ao Rangers, na Escócia, em jogo a contar para a fase de grupos da Liga Europa.

Quanto ao afastamento, Uribe acabou por reagir a esta decisão através da sua conta de Instagram, dizendo tratar-se de um “mal-entendido”, pois a festa durou até às cinco da manhã, mas tanto ele como os colegas se retiraram antes da meia-noite para descansar.

“Na sexta-feira celebrei o aniversário da minha esposa, como qualquer ser humano o faria, em família e com amigos próximos. Uma celebração saudável, rodeado das pessoas de que mais gostamos”, começou por dizer o médio colombiano.

“Depois de os meus companheiros saírem, fui descansar”, adianta o jogador, explicando que tanto ele, como a família, sabem da prioridade em cuidar do estado físico para poder ter um rendimento ótimo, como profissional de futebol.

“Aos que duvidam de mim, vejam por favor a minha carreira desportiva, a mesma que me define como jogador profissional, ético e comprometido”, acrescenta o futebolista, dizendo estar “1.000% comprometido com o FC Porto”.

Sérgio Conceição justificou o afastamento, dizendo que para “representar o FC Porto não basta ter contrato, tem que se sentir o clube”. De mencionar que esta não é prática nova para o treinador dos azuis e brancos: na época passada, Éder Militão, defesa-central entretanto vendido ao Real Madrid, também foi afastado de uma partida por ter saído à noite até depois da hora prevista.

No caso dos rivais do FC Porto, recorde-se que houve um caso semelhante a ocorrer no elenco do Sporting, tendo o jogador Wendel, sido castigado e temporariamente despromovido à equipa sub-23 depois de infringir o horário estipulado no regulamento interno dos leões.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.