O avançado iraniano dos vila-condenses apontou tento que desequilibrou a eliminatória aos 16 minutos, numa partida em que adversário, que milita no Campeonato Portugal, e que na ronda anterior tinha afastado o Sporting, ‘vendeu cara’ a derrota.

A jogar a favor do vento na etapa inicial, os donos do terreno até embalaram para o controlo inicial do desafio, e logo aos três minutos desperdiçaram uma soberana oportunidade, quando Taremi, com a baliza à mercê, fez o mais difícil, rematando ao lado.

Do outro lado, o Alverca tentava ajustar-se às adversas condições climatéricas nos Arcos esboçando alguns contra-ataques, mas sentia dificuldades na definição final, permitindo que fosse o Rio Ave a pautar o ritmo do desafio.

À passagem do quarto de hora, e já depois Taremi e Tarantini, terem falhado o alvo, por pouco, num par de cabeceamentos, o avançado iraniano do Rio Ave redimiu-se da perdida inicial, e, na sequência de um canto, desviou para o 1-0.

Em vantagem, os nortenhos aliviaram a pressão, dando espaço para uma reação do Alverca, que passou a rondar, mais vezes, a baliza vila-condense, mas, de novo, com dificuldades na finalização, o melhor que conseguiu foi um remate de Andrezinho, que o guardião local segurou.

Na segunda metade, e jogar, desta feita, com o vento pelas costas, os ribatejanos cresceram, e assumiram a iniciativa do encontro, surgindo bem mais vezes no meio campo contrário, mas voltando a mostrar carências no último passe.

O Rio Ave teve, então, de sofrer e fazer da solidez do meio campo uma das suas maiores armas, ainda tentando, algumas vezes, espreitar o contra-ataque, mas sem conseguir ampliar a vantagem, perante um Alverca que acreditou até ao final, mas não teve acerto para beliscar o 1-0 que prevaleceu até ao final.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.