O Sporting perdeu dois dos últimos três encontros na I Liga, precisamente frente aos açorianos (3-2), nos Açores, e na receção ao Sporting de Braga (2-1), resultados que deixaram o grupo abalado.

“Sensações diferentes para todos. É sinal de exigência, já não estávamos habituados e claro que o grupo sente as derrotas. Olhamos para os jogos, tiramos o que achamos que falhou, porque são derrotas diferentes”, começou por dizer o técnico ‘leonino’, em conferência de imprensa, acrescentando que o cenário “ajuda a equipa a crescer e que alguns [jogadores] já viveram isto em outros clubes”.

Sobre o troféu que a equipa vai defender no Estádio Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria, Amorim deixa claro que pretende revalidar o título, mas o pensamento passa por “jogo a jogo e é preciso ter agressividade”.

“Temos de melhorar alguns aspetos técnico/táticos, temos de marcar golos e aumentar a nossa agressividade. É o nosso ADN. [Santa Clara] tem bons jogadores, um bom treinador e não tem responsabilidade nenhuma. Gostamos da sensação de ganhar e de lutar por títulos”, observou.

A menos de uma semana do fecho do mercado de inverno, o campeão nacional não viu sair nenhum jogador. Contudo, caso aconteça, o clube tem de estar preparado para tudo.

“Estamos sempre preparados para tudo. Não queríamos perder o Nuno Mendes e o Wendel. Apareceu o Dani [Bragança] e Matheus Nunes, quando o João Mário [era titular] e depois saiu. Se tiver de acontecer, estaremos preparados para dar resposta. Claro que não queremos perder nenhum jogador, mas sabemos o caminho que o Sporting tem de percorrer”, frisou.

A exibição menos boa do defesa Gonçalo Inácio diante dos bracarenses mereceu um comentário do treinador, que recordou o crescimento do jovem jogador, de 20 anos.

“O Inácio teve um crescimento muito grande. Quando o puxámos para cima jogava a defesa-esquerdo, não era titular indiscutível nos sub-23. Adaptou-se muito bem à equipa e estou muito satisfeito com ele. Teve um dia menos bom, tem feito muitos jogos”, concluiu.

Na quarta-feira, Sporting e Santa Clara, que tenta atingir a primeira presença na final de uma prova nacional, defrontam-se no Estádio Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria, palco da ‘final four’ da Taça da Liga pelo segundo ano consecutivo e que acolherá também a final de sábado.

O duelo entre lisboetas e açorianos, agendado para as 19:45, será dirigido pelo árbitro António Nobre, da Associação de Futebol de Leiria.

A outra meia-final, que irá opor o Benfica ao Boavista, disputa-se hoje, no mesmo palco.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.