O relatório e contas consolidado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) destaca o "resultado líquido consolidado positivo em 7,158 milhões de euros, que se destaca dos 23,926 milhões negativos apresentados no período homólogo”.

Para a melhoria das contas contribuíram “o aumento das receitas obtidas pela participação do FC Porto na edição 2018/2019 da UEFA Champions League", bem como "o início da contabilização do contrato celebrado com a Altice, em dezembro de 2015, para a cedência de direitos de transmissão televisiva”.

Em termos genéricos, a SAD ‘azul e branca’ continua a apresentar um capital próprio negativo, embora o tenha reduzido em 6,61 milhões de euros para 31,5 milhões.

Assim, o ativo é contabilizado em 365,9 milhões de euros, enquanto o passivo é de 397,4 milhões de euros, reduzido em 66,758 milhões.

O campeão português revela ainda que gastou 28,9 milhões de euros em reforços no mercado de verão, divididos em 24 milhões na aquisição de passes de futebolistas e 4,9 milhões em encargos adicionais, como comissões.

Em termos de vendas, as mesmas não foram além dos 6,39 milhões de euros.

"As rubricas relacionadas com passes de jogadores (...) alcançaram um saldo líquido negativo - agora de 14,992 milhões de euros - por não se terem efetuado vendas de direitos desportivos de jogadores por valores relevantes neste primeiro semestre”, referem.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.