JJ transformou rapidamente o bom plantel do Flamengo numa grande equipa. Conseguiu trazer os seus conceitos de jogo e impressionar os entusiastas do jogo no Brasil. O Flamengo ganhou e encantou em campo, com um futebol ofensivo, intenso e vencedor. Não havia, no Brasil, concorrente com a mesma confiança. Além de que o Flamengo despontava como favorito absoluto para a conquista do Bi.

Entretanto, JJ deixou o clube rumo ao Benfica. Regressou à casa e deixa o Flamengo, a 20 dias da estreia do Brasileirão, sem comandante. Cumpriu o seu contrato, pois havia uma cláusula de rescisão, mas a sua saída não era esperada, pouco tempo após a renovação. E o mesmo contexto do país, em crise devido à pandemia, que afastou o treinador do Flamengo, dificulta as negociações para possíveis substitutos.

O Flamengo sabe que não há, entre os treinadores brasileiros, um substituto à altura e que precisará buscar no mercado europeu. Mas a tarefa de seduzir um grande nome será dificultada com as restrições geradas pela COVID-19. Mais, não basta trazer um treinador competente. Jesus subiu a fasquia e o seu substituto será sempre alvo de comparações. Se não vencer tudo, já terá feito menos que o antecessor.

Além disso, a personalidade de JJ ajudou-o a conquistar a opinião pública e a domar os egos num clube cheio de jogadores balados e com excesso de confiança na diretoria. Jorge Jesus manteve todos concentrados nos resultados a alcançar e conseguiu blindar os jogadores nos poucos momentos de turbulência. Um bom treinador, sem a mesma capacidade de centralizar as atenções e conquistar os jogadores, terá dificuldades.

Jorge Jesus, apesar de não ser considerado um treinador de primeiro nível europeu, tem toda a experiência de 6 anos no Benfica e poderia ter ido mais longe na carreira se não fossem as barreiras de idioma. Entre os treinadores portugueses, favoritos do clube brasileiro devido à facilidade linguística, poucos tem o mesmo CV. Os mais promissores, com mercado entre clubes médios e grandes das principais ligas europeias, já dão sinais de que não se sentem atraídos pelo mercado brasileiro. Sobram poucas opções mais assertivas e o Flamengo, provavelmente, terá que correr riscos ao escolher um nome sem a força de JJ.

É este cenário de incerteza que faz com que os rivais mais próximos na luta pelo título nacional enxerguem a possibilidade de desafiar o campeão de 2019. O Flamengo deve passar por um período de ajuste de filosofias e tem, agora, uma incógnita que pode afetar o seu jogo no futuro próximo. Com a equipa técnica campeã, no ano passado, e com os reforços dos novos jogadores, parecia impossível desbancar o Mengão.

O Atlético-MG de Sampaoli, com investimentos milionários de um mecenas, o Palmeiras e o seu plantel, o São Paulo que mantém a base do ano passado e, principalmente, os clubes gaúchos, Grémio e Inter, parecem ser os postulantes a brigar pelo topo da tabela e vão tentar começar a época com uma sequência de vitórias para aproveitar o momento. Se o Flamengo perder pontos nesta fase, pode ser que a briga pelo título seja mais ferrenha. Afinal, uma vitória na primeira jornada vale o mesmo que uma vitória na última. 

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.