Na capital da Áustria, ‘Djoko’ bateu Coric por 7-6 (13-11) e 6-3 e chegou aos quartos de final da prova, ao final de duas horas e nove minutos, confirmando matematicamente a sexta vez que acaba o ano em primeiro.

Depois de 2011, 2012, 2014, 2015, 2018 e agora 2020, os seis anos a acabar como número um só têm paralelo no norte-americano Pete Sampras, e o sérvio tem agora na mira as 310 semanas que o suíço Roger Federer acumulou no topo, seguindo com 292.

Atrás de Djokovic, que venceu o Open da Austrália no início do ano, estão o espanhol Rafael Nadal, que o bateu na final de Roland Garros, e Federer, que foram melhores no final do ano por cinco vezes.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.