O Comité de Controlo e Disciplina da UEFA tem em curso uma investigação ao caso ocorrido em 18 de março para avaliar uma possível infração do seu regulamento disciplinar, denunciada pelo clube escocês após o jogo da segunda mão, em Glasgow, e que ditou o seu afastamento da prova.

Em causa estão alegados insultos de teor racista que Kudela terá proferido ao ouvido de Kamara, que reagiu de imediato e denunciou o facto “deliberado e premeditado” à equipa de arbitragem e aos seus companheiros.

Kudela e o Slavia Praga negaram as acusações e o clube disse mesmo que, já depois do encontro, o seu atleta foi agredido com vários murros na cabeça por parte de Kamara, sob o olhar do treinador Steven Gerrard e de representantes da UEFA.

“Sinto raiva. Conheço o Glen e confio nele a 100%. O jogador do Slavia causou isto e algo deve ser decidido rapidamente, mas isso está acima de mim. Mas aconteça o que acontecer, estou ao lado de Glen”, disse o treinador do Rangers, Steven Gerrard, logo após o fim do jogo, e depois de pedir explicações ao homólogo do Slavia, Jindrich Tripisovsky.

Kudera esclareceu que o seu comentário foi uma reação às entradas mais duras que os atletas do Rangers estavam a protagonizar, que resultaram em duas expulsões.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.