“Gostaria de dar os parabéns ao Dr. Frederico Varandas pela vitória alcançada, que lhe confere total legitimidade para dirigir os destinos do nosso clube”, assinalou Tavares Pereira, em nota enviada à agência Lusa, adiantando que Frederico Varandas passou a ter em si “um apoiante”.

O candidato derrotado pela lista G, que destacou a necessidade de estabilizar as contas do clube e da SAD, pediu “paz e serenidade” aos sócios do Sporting, assegurando que jamais utilizará “os meios de comunicação social ou as redes sociais para fazer qualquer tipo de crítica”.

“Nos planos financeiro e desportivo estaremos atentos para que sejam cumpridas as diversas promessas eleitorais que ao longo da campanha foram sendo feitas aos sócios. Se porventura tivermos que fazer algum reparo relativamente à atuação do Conselho Diretivo usaremos os meios institucionais ao nosso alcance e seremos recatados”, observou.

Frederico Varandas tornou-se o 43.º presidente do Sporting, ao recolher 42,32% dos votos (8.717 votantes) nas eleições realizadas no sábado, as mais concorridas da história do clube, sucedendo a Bruno de Carvalho, que foi destituído do cargo em 23 de junho.

O médico, de 38 anos, foi eleito para um mandato de quatro anos, depois de ter sido diretor clínico do Sporting, entre 2011 e 2018, e desempenhado as mesmas funções no Vitória de Setúbal, entre 2007 e 2011.

João Benedito foi o segundo mais votado, com 36,84% (9.735 votantes), José Maria Ricciardi teve 14,55% dos votos, superando as listas encabeçadas por José Dias Ferreira (2,35%), Fernando Tavares Pereira (0,9%) e Rui Jorge Rego (0,51%). Foram ainda registados 2,2% de votos em branco e 0,31% nulos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.