Esta é uma notícia sobre os Jogos Rio de Janeiro, em 2016, mas também é relativa às olimpíadas de Tóquio, em 2021. Confuso? Pela primeira vez, em 125 anos, o pódio de uma das competições foi igual em duas edições consecutivas.

Os norte-americanos Ryan Crouser e Joe Kovacs venceram as medalhas de ouro e prata, respetivamente, enquanto Tomas Walsh, da Nova Zelândia, ficou com o bronze. Tal como já tinha acontecido nos Jogos de 2016; só os anos e as máscaras nos rostos separam as duas fotos.

Neste feito que fica na história do lançamento do peso, há outro dado digno de registo. Crouser bateu o recorde olímpico da modalidade, ao fazer um lançamento de 23,30 metros — ficando apenas a sete centímetros da sua marca mundial. Além disso, os três medalhados ultrapassaram os 22 metros.

No final da competição, Crouser lembrou o avô, dono do quintal onde começou a praticar a modalidade, e que faleceu um dia antes da sua partida para Tóquio.

créditos: Matthias Hangst / POOL / AFP

"Desempenhou um enorme papel na minha carreira de atirador. Sentei-me com ele durante algumas horas após os trials e pude dizer-lhe que era o detentor do recorde mundial. E ele assistiu a esse lançamento no iPad milhares e milhares de vezes", contou o atleta aos jornalistas após a final.

"Sei que ele esteve aqui comigo em espírito e sei que ficaria orgulhoso se estivesse aqui", acrescentou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.