A atleta, que compete como individual, apenas alcançou os 13,22 metros que lhe valeram o título no sexto e último salto, tendo superado a forte concorrência de Evelise Veiga, do Sporting, que tinha realizado um salto de 13,16 metros na quarta tentativa.

Além disso, a campeã em 2003, 2005, 2006 e 2018, beneficiou, também, da ausência da vice-campeã olímpica Patrícia Mamona, do Sporting, para voltar a arrecadar o cetro, quatro anos depois, e diminuir a diferença face a Patrícia Mamona, que já subiu ao topo do pódio por 13 ocasiões.

“É sempre bom vir aos campeonatos nacionais e vencer, apesar de não estar tão bem fisicamente como estava. A performance não foi a mais desejada, mas é sempre bom ganhar”, reiterou a atleta à Lusa, recordando algumas lesões que a têm afetado nos últimos tempos.

Sobre a marca de 13,22 metros, a veterana notou que o registo a deixa “orgulhosa”, acrescentando que estas competições “são também os treinos”, uma vez que não está “nas melhores condições físicas”.

Relativamente à ausência de Patrícia Mamona, Susana Costa disse que “deixou a tarefa um bocado mais facilitada”, asseverando que a vice-campeã olímpica em Tóquio é “campeoníssima e alguém com muita experiência, com um nível competitivo muito forte, e, o facto de não estar aqui, facilitou o trabalho e todas as atletas aproveitam isso da melhor forma”.

O terceiro lugar do pódio foi para Ana Oliveira, do Grupo de Atletismo de Fátima, que saltou a 12,78 metros, na última de seis tentativas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.