“Não foi o fim de semana que estávamos à espera em termos de resultados. Não é fácil arrancar na segunda metade da grelha e sabíamos que os problemas no carro não iam ajudar em nada. É frustrante, porque sentia-me bastante confiante e sei que tinha a capacidade por lutar pelos lugares da frente. Acho que isso foi visível com o número de ultrapassagens que consegui nas partes mais técnicas da pista, mas não foi possível evitar perder posições nas retas longas, onde o carro perdia consideravelmente. Fiz o que pude e os resultados foram os possíveis”, começou por referir Tiago Monteiro, em declarações difundidas pela sua assessoria de imprensa.

A próxima jornada é já no próximo fim de semana na Hungria. O campeonato chegou agora a meio e o piloto do Civic Type-R entende que é preciso “continuar a melhorar o carro”.

“Não temos muito tempo, mas vamos analisar toda a informação e procurar dar um passo em frente. Temos também a missão de ajudar a Honda a ser bem sucedida em termos de equipa. Queríamos estar numa posição diferente, mas temos de aceitar e dar o melhor. É isso que vou fazer já com os olhos postos na Hungria”, concluiu.

O francês Nathaniel Benthon (Audi) venceu a primeira corrida, o holandês Tom Coronel (Audi) a segunda e o holandês Nicky Catsburg (Hyundai) a terceira.

O francês Yann Ehrlacher (Lynk & Co) mantém o comando do campeonato, com 112 pontos. O português Tiago Monteiro é 16.º, com 25, os mesmos do italiano Gabriele Tarquini (Hyundai), que é 15.º.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.