“Vamos dar tudo por tudo neste jogo e, a partir daí, vem o seguinte”, declarou Pako Ayestarán aos jornalistas em conferência de imprensa de antevisão do encontro de quinta-feira, pelas 20:15, da primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal.

O técnico espanhol assumiu que “o Mafra vai jogar o jogo mais importante da sua história”, mas também o Tondela terá “um dos jogos mais importantes” da vida do clube, depois de subir à I Liga “e das quatro vezes em que assegurou a manutenção na última jornada”.

“É certo também que o Tondela poderá estar numa situação similar a anos anteriores, a salvar na última jornada, pode estar. Pode estar na final? Pode estar, mas quem sabe [se será] mais difícil, pelo que é um jogo emocionante em que vamos competir e, a partir daí, a competição dirá se somos merecedores ou não” de chegar à final, defendeu.

O treinador assumiu que “alguma alteração haverá” no jogo a contar para a Taça de Portugal, à semelhança do que tem acontecido nesta competição, em que tem “dado oportunidade” a jogadores que têm menos horas no campeonato, em que o clube se situa na 16.ª posição.

“Vamos ter uma equipa competitiva. Cada vez que vais para a relva, tens de tratar de ser competitiva, com mais ou menos trocas, mas competitiva a 100%”, prometeu Pako Ayestarán.

Com o Tondela a marcar presença, pela primeira vez, nas meias-finais da Taça de Portugal de futebol, o técnico assumiu que espera estar “à altura das expectativas, dos adeptos e da própria equipa” para alcançar a final no Estádio do Jamor.

“O jogo mais importante é este, independentemente de o objetivo mais importante para o Tondela ser a manutenção, mas o jogo mais importante é este, das meias-finais, frente ao Mafra e vamos com a máxima intensidade e máxima responsabilidade e tratando de ser competitivos”, assumiu.

Competitividade foi das palavras mais usadas pelo técnico na antevisão ao jogo com o Mafra, uma vez que considerou que “não há favoritismos”, apesar dos escalões diferentes a que pertencem os dois clubes.

“Sobretudo, tendo em conta que toda a equipa que está na meia-final é porque foi competitiva até agora, e o Mafra demonstrou que foi competitivo e eliminou equipas da I Liga como o Moreirense e Portimonense”, sublinhou.

O técnico admitiu ainda que “é preciso ter humildade para reconhecer que vai ser muito difícil” enfrentar o Mafra e o Tondela “não pode ter ansiedade, nem cair no erro de achar que se soluciona o resultado nos primeiros 15 minutos” do encontro, porque ainda há uma segunda volta, em casa do Mafra.

“A não ser que aconteça uma catástrofe para o Tondela ou para o Mafra, algo que pode acontecer, mas se não é uma catástrofe não fica decidido nada neste jogo”, assumiu Pako Ayestarán, que não pediu nada aos adeptos, até porque, defendeu “são os adeptos que têm de acreditar no seu clube”.

O Tondela, da I Liga, recebe o Mafra, da II, esta quinta-feira, pelas 20:15, no Estádio João Cardoso, para a primeira volta das meias-finais da Taça de Portugal, arbitrado por Vítor Ferreira, da Associação de Futebol de Braga.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.