Depois da questão ter sido submetida para o órgão de Comité de Controlo, Ética e Disciplinar da entidade regula o futebol europeu, a decisão acabou por ser tomada pelo responsável de recursos, deliberando que o jogo agendado para o passado dia 17 de novembro foi dado como “perdido” pela Ucrânia, “por ter sido responsável pela não realização do mesmo”.

No dia da partida, a UEFA justificou o cancelamento com base “na sequência dos recentes casos de testes positivos na seleção da Ucrânia”, que levou as autoridades suíças “a colocarem a delegação ucraniana em quarentena” e, consequentemente, deixando os ucranianos sem jogadores elegíveis para jogar naquela data.

De acordo com os regulamentos aprovados pelo Comité Executivo da UEFA, em 28 de agosto, quando uma seleção não conta com pelo menos 13 jogadores, o jogo, caso seja possível, será adiado para uma data a afixar pelo organismo europeu, algo que acabou por não se verificar.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.