Partindo deste mote, fomos à procura de veteranos que ainda estejam a dar cartas e a ser peça fundamental na equipa. No entanto, levámos em conta duas particularidades: têm de ter 33 ou mais anos de idade e ter feito balançar as redes adversárias, pelo menos, 10 vezes. “Velhos Artilheiros”, portanto.

A ideia surge após ter sido noticia que os bilhetes para o Roma - Génova, no próximo dia 28, no Olímpico de Roma, que há muito tempo não regala os olhos com um enchente “à antiga” (esta época, de acordo com o Tranfermakert, a média de assistências ronda os 29.846 espetadores… quando tem capacidade para 73 mil) esgotaram no último jogo de Francesco Totti. A última partida do “Rei de Roma”, do “Capitão”, daquele que é considerado um dos maiores entre os grandes. Aos 40 anos, vai colocar o fim numa era que durou cerca de um quarto de século. No mesmo clube, na mesma cidade. No país natal. (Falamos de uma “era” e não da “carreira” porque, efectivamente, da boca do jogador, ainda não se ouviu sequer balbuciar o termo ‘ritiro’). Uma lealdade sem ímpar. E que Bernardo Pires de Lima, ao Expresso, explicou tão bem. Fê-lo como só alguém que esteve sentado no Olímpico e viu a lenda ao vivo, o podia fazer.

Muito contribuiu também o facto do técnico italiano António Conte ter decidido, esta segunda-feira, homenagear o histórico central do Chelsea, John Terry, que poderá abandonar o futebol no final da época, dando-lhe a titularidade frente ao Watford. Este inaugurou o marcador aos 22 minutos, na sequência de um pontapé de canto, levando ao delírio os adeptos dos ‘blues’ e o seu treinador. Totti e Terry: dois homens com 'T' grande e que hoje em dia já não se fazem.

Não durou muito até que as nossas gentes começassem a ruminar naqueles que abandonaram a carreira, num passado recente e que gozassem de semelhante status quo: Zanetti, Ryan Giggs, Paul Schools, Raul, Alessandro Nesta, David Beckham. Todos eles protagonistas de carreiras onde nada pareceu efémero e que a bonita história durou até depois dos 35. Mas, ainda que em alta (dentro do possível, vá...) rotação na hora do ‘adeus’… e golos, que são bonitos e que nos fazem estar apaixonados pelo beautiful game?

Foi a partir daqui que surgiu a questão: ainda que o romano tenha jogado efetivamente pouco (324 minutos distribuídos por 16 jogos, culminando com um saldo de 3 tentos, em 2016/2017), qual será o balanço de alguns trintões nos principais campeonatos? Haverá alguém que se continue a revelar uma máquina oleada de venda automática de golos, ainda que tenha alguns anos de uso? Pois bem, analisadas as listas dos melhores marcadores das mais importantes ligas, aqui ficam alguns dos que consideramos ter mais peso para a classificação atual das suas equipas.

Porém, não são estes os únicos casos. Há outros que se assemelham e que espelham a mesma qualidade. O holandês Arjen Robben, pentacampeão alemão ao lado de Renato Sanches, podia muito bem fazer parte desta lista. Afinal, tem 33 anos e marcou 12 golos em 25 jogos para o campeonato. E, em janeiro, renovou por mais um ano.

Cyril Théréau é outro caso. O francês de 34 anos fez 11 golos ao serviço da Udinese. Também o italiano Fabio Quagliarella, pelo Sampdória, consguiu o mesmo feito. E tem a mesma idade.

Eis então a nossa lista, que incluiu alguns ditos ‘old rivers’, que ainda podem a ensinar uma coisa ou duas aos insurgentes que prometem ser o futuro terror das defesas. E, sim: estamos a acenar e a sorrir para Mbappé.

Jermain Defoe

Onde: Sunderland, Premier League, Inglaterra

BI: 1982-10-07 (34 anos)

Golos em 2016/2017: 15

Em 36 jogos para o campeonato, todos a titular, marcou 15 golos. Nascido em 1982, Defoe tem 34 anos e fez grande parte da sua carreira no Tottenham. Em 2014, contudo, rumou à Major League Soccer (MLS), a principal liga de futebol norte-americana, para representar os canadianos do Toronto FC. Na hora da despedida, deixou uma mensagem sentida aos fiéis adeptos de White Hart Lane. A aventura duraria apenas um ano, mas ainda assim fez 12 golos.

A boa época forasteira, no entanto, fê-lo regressar a Inglaterra e ingressou no Sunderland pela mão de Gus Poyet, com quem tinha trabalhado nos 'Spurs'. Ajudou a garantir a manutenção e marcou 18 golos. Esta época, o saldo impressiona porque, para além de ser atingido num campeonato extremamente competitivo, é alcançado por uma equipa que já se encontra relegada para o 'Championship', o segundo escalão do futebol inglês, e que depende dele quase exclusivamente para marcar golos: no total, têm 28.

No Sunderland, o ágil avançado é aquele que na frente mete a "redondinha" onde interessa. Há semanas, foi ele o carrasco de Marco Silva, ao marcar um dos golos da equipa na vitória por 2-0 na casa do Hull City, que ajudou a selar o destino da equipa orientada pelo técnico português.

Rubén Castro

Onde: Bétis de Sevilha, Liga BBVA, Espanha

BI: 1981-06-27 (35 anos)

Golos em 2016/2017: 11

O pequeno avançado (1,68 m) tem mostrado ser um jogador particularmente letal à frente da baliza. Fez toda a carreira em Espanha e desde a época de 2008/2009 marcou sempre, pelo menos, 11 golos.

É um dos titulares indiscutíveis no onze de Víctor Sánchez e conta com 2.692 minutos para o campeonato. Custou 1,7 milhões de euros em 2010, proveniente do Las Palmas e é hoje o melhor marcador da história do clube (145 golos). O clube já garantiu a manutenção.

Marco Borriello

Onde: Cagliari, Serie A, Itália

BI: 1982-06-18 (34 anos )

Golos em 2016/2017: 20

Possante, alto e dono de um pé esquerdo pujante, Borriello faz no próximo mês 35 anos. Passou por históricos italianos como Milão, Juventus (17 jogos, 2 golos) e Roma (56 jogos, 18 golos), sendo que a nível da seleção italiana conta com 7 internacionalizações, ainda que não tenha marcado qualquer golo.

Teve uma carreira marcada por vários empréstimos e vincada pela irregularidade. Para melhor resumir o seu curriculum, apenas diluindo os números desde a temporada 2011/2012: sete clubes (Juventus, Genóva 2x, Roma 2x, West Ham, Carpi, Atalanta e Cagliari) e 45 golos. Agora, se o número nem parece ser assim tão paupérrimo quanto isso, haja noção que 20 deles são da corrente época. E isso, ninguém lhe tira: que bela temporada.

Protagonizou até ao momento 35 partidas, conta com 2.589 minutos, 0,57 de média de golos por jogo e ajudou a estabilizar o Cagliari a meio da tabela, no 12º lugar.

Samuel Eto'o

Onde: Antalyaspor, Süper Lig, Turquia

BI: 1981-03-10 (36 anos)

Golos em 2016/2017: 14

O camaronês tem 14 golos marcados este ano ao serviço do Antalyaspor, 6.º classificado da primeira liga turca.

Na época passada já tinha realizado igualmente uma boa prestação ao marcar 20 golos. Na altura, o clube de Antalya acabou o campeonato em 9.º lugar.

Eto’o (que começou a sua carreira no Real Madrid, clube em que acabou por nunca singrar) destacou-se sobretudo no FC Barcelona, entre 2004 e 2009, tendo conquistado nesse período duas Liga dos Campeões e três campeonatos espanhóis.

No Inter de Milão, com José Mourinho, conquistou outra vez a ‘Champions’ e também a Liga italiana.

O jogador camaronês passou ainda pelo Maiorca (onde foi orientado por Jaime Pacheco, na época de 2003/04), Anzhi, Chelsea, Everton e Sampdoria.

Dirk Kuyt 

Onde: Feyenoord, Eredivisie, Holanda

BI: 1980-07-22 (36 anos)

Golos em 2016/2017: 15

O veterano Dirk Kuyt alcançou este fim de semana um ‘hat-trick’ na vitória caseira do Feyenoord frente ao Heracles, por 3-1, que assegurou a conquista do 15.º título de campeão holandês de futebol ao clube de Roterdão, algo que lhe escapava desde 1998/99. Capitaneando a equipa (agora campeã) holandesa, este ficou marcado igualmente pelo facto de ter apontado o centésimo golo pelo clube.

Antes de regressar ao Feyenoord na época passada, Kuyt esteve seis temporadas no Liverpool e três épocas no Fenerbahçe, onde jogou com os portugueses Bruno Alves e Raúl Meireles. Na altura, avançou que a decisão de deixar a Turquia foi tomada antes do ataque a tiro que visou o autocarro que transportava a equipa de Istambul.

Pela 'laranja', estreou-se como internacional pela “mão” do selecionador Marc Van Basten, a 3 de Setembro de 2004, na vitória frente ao Liechtenstein (3-0), em jogo particular. Representou a seleção por 104 vezes e marcou 24 golos, passando por três mundiais (2006, 2010 e 2014) e dois europeus (2008 e 2012).

Aritz Aduriz

Onde: Atlético de Bilbao, Liga BBVA, Espanha

BI: 1980-07-22 (36 anos)

Golos em 2016/2017: 21 golos

Aos 36 anos, o melhor marcador espanhol das últimas duas edições da liga prolongou o seu contrato com clube basco (atual sexto classificado do campeonato, com 63 pontos, a lutar pelos lugares europeus) em dezembro do ano passado.

É o jogador com a melhor média de golos da mais recente edição da Liga Europa, "à custa" de 7 golos apontados em apenas 6 jogos (para os quais muitos contribuíram os cinco golos marcados contra o Genk, ainda na fase de grupos).

Para o campeonato, tem-se revelado uma figura preponderante quando joga no San Mamés, casa dos bascos, pois demonstra uma apetência especial para marcar diante do seu público. No total, conta com uma média 0,59 de golos/jogo para o campeonato.

Aritz Aduriz conta ainda com 2 golos nas 11 ocasiões em que vestiu a camisola de Espanha.

Zlatan Ibrahimović

Onde: Manchester United, Premier League, Inglaterra

BI: 1981-10-03 (35 anos)

Golos em 2016/2017: 28

Provavelmente o nome menos surpreendente desta lista. Aos 35 anos, o sueco não mostra sinais de abrandamento e na sua época de estreia em Inglaterra, ao serviço do Manchester United, marcou um total de 28 golos, 17 deles no campeonato.

A passos largos para se tornar uma lenda, não só pela personagem que encarna e espelha cá para fora, como se fosse um ‘Deus’, como pelo desempenho desportivo, Zlatan começa a despertar o mundo de futebol para uma frase que disse recentemente: “Sou como o Benjamin Button”, disse em alusão ao filme em que a personagem principal nasce velho e com o passar dos anos vai ficando cada vez mais novo. E parece que não é mentira.

Pires

Onde: Portimonense, II Liga, Portugal

BI: 1981-04-01 (36 anos)

Golos em 2016/2017: 23

Durante o mercado de inverno de 2014, Pires era anunciado pelo Portimonense como a nova contratação dos alvinegros, pois tinha terminado contrato com o Benfica de Luanda (Angola), regressando agora ao clube algarvio, que representou entre 2009 e 2011.

O presidente do clube de Portimão, Fernando Rocha, tinha explicado que "o Pires regressava a uma casa" onde tinha deixado "saudades".

Esta época, 41 jogos e 23 golos depois, foi instrumental no desenho de Vítor Oliveira para atacar o bom resultado verificado no Portimonense. Tanto assim que marcou sempre nas últimas três jornadas da II liga, o que leva a ser o melhor marcador do segundo escalão do futebol português e dos principais responsáveis pela décima promoção do "Rei das Subidas".

Jonas

Onde: Benfica, Liga NOS, Portugal

BI: 1984-04-01 (33 anos)

Golos em 2016/2017: 18

Jonas chegou ao Benfica no início da temporada de 2014/15, proveniente do Valência, clube no qual alinhou durante quatro épocas. Antes, tinha representado os brasileiros do Guarani, Santos, Grêmio de Porto Alegre e Portuguesa.

Melhor marcador da edição 2015/16 da I Liga com 29 golos, renovou contrato com o Benfica até junho de 2019, em março. Pelos ‘encarnados’ conquistou três títulos de campeão nacional, duas Taças da Liga e uma Supertaça Cândido Oliveira.

Em números, pelo Benfica, fez 128 jogos e apontou 85 golos. Pela canarinha, fez 12 jogos e 3 golos.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.