"In The Market" ("No Mercado", em português) é o nome da aplicação que a portuguesa ITSector lançou no primeiro trimestre deste ano para facilitar o contacto entre atletas desempregados e treinadores, sobretudo durante o defeso, período que decorre entre o fim de uma época futebolística e o início da próxima.

“De uma forma simplista, é um Linkedin [rede social de negócios] para desportistas”, resume em declarações à Lusa na Web Summit, em Lisboa, Cristóvão Morgado, responsável pelo departamento de ‘mobile’ da empresa.

Na aplicação, qualquer futebolista, treinador ou olheiro pode criar gratuitamente um perfil, introduzir o seu currículo, indicando, no caso dos futebolistas, a idade, em que posição joga ou que clubes já representou. A universalidade dos currículos facilita a pesquisa de atletas, sendo possível comparar diretamente dois jogadores.

Cristóvão Morgado reconhece que a aplicação está mais virada para os campeonatos secundários, até porque na I Liga de futebol “já está tudo controlado”. Por esse motivo, o objetivo, para já, é chegar às dezenas de milhar de jogadores de futebol das divisões distritais “que precisam de se mostrar”.

Os utilizadores podem conversar entre si num ‘chat’ ou publicar mensagens ou vídeos de jogos ou de golos marcados, que ficam depois acessíveis a todos através de um mural de notícias. O ‘post’ mais comum tem sido: “Estou livre. Procuro clube!”.

A aplicação conta com cinco mil utilizadores, 90% dos quais ligados ao futebol, que é a principal modalidade na aplicação, seguida do andebol e de outras modalidades, mas estas com números mais marginais.

“Temos até treinadores do Japão registados que querem vir para a Europa”, conta Cristóvão Morgado, revelando que ao nível do futebol o rácio é de 10 atletas por cada treinador ou olheiro registados, muito próximo da realidade de uma equipa: 11 jogadores e um treinador.

O registo na aplicação é gratuito e deverá manter-se assim para já. “Isto é um modelo de ‘startup’. Estamos a ver o que as pessoas nos dizem”, justifica.

Atualmente com cerca de 5 mil utilizadores, o objetivo passa pela internacionalização da aplicação, existindo já a meta de chegar até aos 40 mil em breve. Para isso, a Web Summit já deu uma ajuda, facilitando contactos com outras ‘startups’ de desporto, de forma “a cruzar sinergias”.

“Na Web Summit conhecemos uma ‘startup’ que tem uma plataforma para organizar torneios de futebol no México. Estamos em contacto porque só no México são 53 milhões de pessoas a jogar futebol”, afirmou Cristóvão Morgado, nitidamente entusiasmado com uma possível colaboração.

Fundada em 2005, a ITSector é uma empresa de desenvolvimento de ‘software’, dedicada à área financeira e com negócios na área da banca, seguros, saúde e desporto, entre outros.

A Web Summit de Lisboa, que arrancou na segunda-feira e termina hoje, conta com mais de 53.000 participantes, de 166 países, incluindo 15.000 empresas, 7.000 presidentes executivos e 700 investidores.

Entre os oradores estão os fundadores e presidentes executivos das maiores empresas de tecnologia, bem como importantes personalidades das áreas de desporto, moda e música.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.