“É nosso jogador, importante. Está há dez anos, fez história neste clube e quero que continue connosco. Não me interessa o que se diz, mas o que vai fazer connosco, desde agora até ao final”, referiu Zidane.

Na antevisão do jogo da Taça do Rei, na quarta-feira, no qual o Real Madrid recebe o Sevilha, Zidane falou de Pepe, mas também de Cristiano Ronaldo, a poucos dias de se saber quem será o melhor futebolista do ano para a FIFA.

“Ninguém pode duvidar das suas capacidades, é normal existir debate e cada um ter uma opinião. O que faz, faz muito bem, é único. Ficaria surpreendido se não ganhasse o prémio, porque merece tudo”, salientou o técnico dos ‘merengues’.

Na conferência, o treinador francês acabou por falar de vários tópicos, entre os quais também a sua candidatura a melhor técnico do ano da FIFA, na qual concorre com Claudio Ranieri, campeão com o Leicester, e Fernando Santos, que conduziu Portugal a um inédito título europeu.

“Não me surpreenderia em nada não ser o melhor treinador do ano. Será normal que ganhe outro, acabei de começar. Tenho que continuar a trabalhar e mostrar muito mais, mas estou lá, embora seja normal não o ganhar”, disse.

Zidane chegou há quase um ano ao Real Madrid, substituindo então no cargo Rafa Benítez, despedido em função dos maus resultados.

O francês acabaria por conquistar no final da época a 11.ª Liga dos Campeões do Real Madrid, numa final disputada em Milão frente ao Atlético Madrid, que os ‘merengues’ venceram no desempate por grandes penalidades.

“O melhor [do ano] foi vencer a ‘Champions’. O pior não há. Não me ocorre mesmo nada. Só vejo as coisas pela positiva”, concluiu Zidane.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.