A Alemanha registou no segundo trimestre de 2020 uma queda histórica de 10,1% do Produto Interno Bruto (PIB), em consequência das medidas de restrição aplicadas para limitar a propagação do coronavírus, anunciou nesta quinta-feira o Destatis (Escritório Federal de Estatísticas).

Na comparação com o segundo trimestre de 2019, a queda foi de 11,7%.

"Este é o retrocesso mais grave do indicador desde o início das medições trimestrais do PIB na Alemanha em 1970", afirma o Destatis em um comunicado.

O recorde anterior era a queda de 4,7% no primeiro trimestre de 2009, em plena crise financeira mundial.

"No segundo trimestre de 2020, tanto as exportações como as importações de bens e serviços registaram forte queda", destacou o Destatis.

A economia alemã sofreu um choque provocado pelo confinamento, que paralisou a produção de muitos setores, mas que também reduziu o comércio e derrubou a produção.

Em abril, em plena restrição sanitária, a produção industrial, crucial para a maior economia da zona do euro, sofreu uma queda histórica de 17,9%.

Os pedidos da indústria caíram 25,8% e as exportações 31,1%.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.