"A Altice Portugal encerrou o primeiro semestre do ano 2020 com receitas a atingir os 1.021,8 milhões de euros, o que representa um ligeiro decréscimo de -0,9% quando comparado com o período homólogo (1.030,5 milhões de euros). A receita no 2.º trimestre sai assim penalizada pelos impactos da pandemia covid-19, uma vez que os primeiros três meses do ano foram marcados por um crescimento de +2,6% face a igual período do ano anterior", pode ler-se no comunicado divulgado.

"O EBITDA [lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização] fixou-se nos 411,4 milhões de euros na primeira metade do ano, registando uma diminuição (-2,0%) quando comparado com o mesmo período do ano anterior (419,8 milhões de euros). A performance do EBITDA acompanhou a evolução da Receita e foi igualmente impactado pelos efeitos negativos da pandemia no 2º trimestre deste ano, uma vez que no 1.º trimestre de 2020 este indicador cresceu +1,8% face a igual período do ano anterior", adianta a empresa.

A Altice refere ainda que, no primeiro semestre, "apesar dos impactos adversos da pandemia", o investimento (CAPEX) "continuou a crescer e aumentou 21,8 milhões de euros, atingindo o montante de 218,2 milhões de euros, o que representa um crescimento de +11,1% versus a primeira metade do ano anterior (196,4 milhões de euros)". Desta forma, "mesmo em contexto económico adverso, a Altice Portugal manteve inalterada a sua estratégia de forte investimento no país e no setor, continuando a aposta na expansão da infraestrutura de fibra, reforço na Inovação tecnológica e na diversificação do portfólio de produtos e serviços", é referido.

No contexto pandémico, a Altice Portugal afirma ter conseguido manter e melhorar "o crescimento sólido da base de clientes, afirmando-se mais ainda na liderança do mercado e reforçando os índices de satisfação de clientes e de qualidade de serviço".

A empresa refere ainda que, no segundo trimestre, "as adições líquidas dos três principais serviços do Negócio Fixo e Convergente - Voz, Banda Larga e TV - atingiram um total de 42 mil, mantendo a rota de crescimento sustentado e consecutivo a cada trimestre, desde o ano anterior (+26 mil no 2º Trimestre de 2019, +38 mil no 3º Trimestre de 2019, +28 mil no 4º Trimestre de 2019, +37 mil no 1º Trimestre de 2020 e finalmente +42 mil no 2º Trimestre de 2020)".

A receita neste segundo trimestre atingiu os 499,5 milhões de euros o que representa um decréscimo de -4,2% versus o período homólogo (521,6 milhões de euros). Por sua vez, o EBITDA fixou-se em 201,2 milhões de euros, o que significou uma variação de -5,7% face ao período homólogo (213,3 milhões de euros).

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.