A reunião do BCE precede o Conselho Europeu que vai juntar os líderes da União Europeia (UE) na sexta-feira e no sábado para negociar um programa de recuperação após a crise causada pela pandemia de covid-19.

A presidente do BCE, Christine Lagarde, disse na semana passada em entrevista ao Financial Times que a entidade monetária aprovou muitas medidas que foram efetivas, sugerindo que agora quer esperar para ver o seu efeito.

Na sua última reunião de política monetária, em junho, o BCE anunciou a decisão de aumentar em 600 mil milhões de euros o volume do programa de compra de ativos de emergência (PEPP) destinado a limitar o impacto da crise causada pela pandemia.

O montante global deste programa, que foi lançado em março passado, ascende agora a 1,35 biliões de euros, tendo o BCE alargado a sua duração pelo menos até ao final de junho de 2021.

Inicialmente o programa previa a compra de 750 mil milhões de euros de dívida até ao final deste ano, uma medida destinada a apoiar a economia da zona euro.

Franck Dixmier, da Allianz Global Investors, disse, citado pela EFE, que não espera que o BCE anuncie novas medidas e considerou que as condições financeiras na zona euro melhoraram.

Por sua vez, o economista-chefe da Axa Investment Managers, Gilles Moëc, considerou que “o BCE provavelmente fez o suficiente no mês passado para poder respirar” agora.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.