“Ratificar o TPP é uma prioridade absoluta e nós vamos agir rapidamente para apresentar o projeto de lei antes” das férias parlamentares, ou seja, até 22 de junho, declarou o ministro do Comércio Internacional canadiano, François-Philippe Champagne na Câmara dos Comuns.

Assinado em março sem os Estados Unidos, o acordo TPP deverá entrar em vigor 60 dias após a ratificação por pelo menos seis dos 11 países signatários (Austrália, Brunei, Canadá, Chile, Japão, Malásia, México, Nova Zelândia, Peru, Singapura e Vietname).

Perante o recuo protecionista dos Estados Unidos, desejado pelo Presidente, Donald Trump, Otava conta com “este acordo positivo que vai abrir mercados” às empresas canadianas, disse Champagne.

Trump confirmou novamente este fim de semana a imposição de taxas aduaneiras ao alumínio e ao aço canadianos e ameaçou atacar o setor automóvel, o que representaria uma verdadeira escalada de tensão entre os dois países.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.