Nos últimos anos, Portugal tem vindo a tornar-se um ponto de referência para empreendedores europeus e internacionais que, atraídos pela nossa relativa facilidade em fazer negócios, não deixaram que as circunstâncias atuais relacionadas com a Covid-19 os afastasse.

No mês passado, observámos um aumento do interesse por parte de empreendedores estrangeiros relativamente aos apoios para os seus negócios. Os empreendedores procuram essencialmente apoio na realocação do seu negócio, no registo de uma nova empresa e na obtenção de financiamento necessário para iniciar um negócio em Portugal. Ainda que estejamos no meio de uma pandemia global, parece haver um forte interesse, tanto de portugueses como de estrangeiros, em iniciar um negócio no nosso país.

Uma maneira comprovar esse interesse contínuo é através de uma das mais recentes iniciativas da Startup Portugal, a One Stop Shop - Balcão do Empreendedor. A plataforma online permite que os empreendedores e investidores solicitem apoio técnico na criação de um negócio ou empresa em Portugal, gratuitamente. Através dela, conseguimos identificar as principais perguntas feitas pelos empreendedores quando pensam em criar uma nova empresa em Portugal. São elas:

1. Posso fundar uma empresa se não for um cidadão da União Europeia?

Sim. Existem algumas opções de visto disponíveis para empreendedores que desejam trabalhar em Portugal, sendo o Startup Visa uma das melhores opções. O Startup Visa é um visto de residência para fundadores de empresas, não pertencentes à União Europeia e ao espaço Schengen, que desejam fazer parte de uma das comunidades europeias de startups que mais rápido se desenvolveu. O programa é executado pelo IAPMEI e envolve a Rede Nacional de Incubadoras que garante que a sua empresa seja montada próxima duma comunidade de empreendedores já familiarizada com os mercados português e europeu. Se tem mais de 18 anos de idade, não tem antecedentes criminais e possui fundos monetários suficientes para se sustentar até um ano, pode solicitar o Startup Visa. Este está disponível durante todo o ano, por isso, por que não começar hoje?

2. Que fundos de coinvestimento estão disponíveis e a quais me posso candidatar?

Todos sabemos que o financiamento é essencial para iniciar um novo negócio e os nossos investidores locais também o sabem. Por isso, o governo português, juntamente com a PME Investimentos, criou o Fundo de coinvestimento 200M. Regulamentado pelo Banco de Portugal, este fundo visa fornecer um compromisso financeiro direto às startups através de um fundo de coinvestimento e partilha de risco com co-investidores privados nacionais ou internacionais. O coinvestimento através do Fundo 200M pode ir até 100% do compromisso financeiro privado com um montante mínimo de €500 mil e máximo de €5 milhões. Se a sua startup estiver a trabalhar nos setores das Ciências da Vida, Biotecnologia, Digital e TI e Engenharia e Indústria 4.0, poderá ter acesso a conhecimentos técnicos, comerciais e de mercado, com foco na inovação e no crescimento, e terá a oportunidade de desenvolver uma melhor estratégia para internacionalizar o seu negócio.

3. Tenho menos de 35 anos e quero criar o meu negócio, mas não sei por onde começar.

Se é um jovem que está a explorar várias oportunidades de carreira  e deseja descobrir os seus próximos passos, por que não pensar em começar seu próprio negócio? Pode parecer assustador no início, mas existem programas para ajudar pessoas com menos de 35 anos a preparar e desenvolver a sua própria empresa. Um desses apoios é o Startup Voucher. Este programa foi criado para otimizar o desenvolvimento de projetos de negócios ainda na fase de ideia e ajudar jovens portugueses entre 18 e 35 anos a começar um negócio. Isto é conseguido através de vários instrumentos de apoio e de uma bolsa disponibilizados durante um período de até 12 meses após a preparação do projeto de negócio. Portanto, se tem nacionalidade portuguesa ou reside em Portugal, não beneficia de uma bolsa para estes mesmos fins, não tem outra fonte de rendimento e não possui uma empresa já estabelecida, é elegível para se candidatar.

4. Qual a forma mais rápida de registar uma empresa?

Existem várias maneiras de registar uma empresa em Portugal, sendo que a abordagem tradicional geralmente envolve ir a vários departamentos governamentais, obter uma senha e esperar em longas filas. Mas há boas notícias: através da Empresa na Hora, pode criar uma empresa imediatamente. O processo é simples: basta marcar uma reunião, recolher todas as informações necessárias e preparar-se para desenvolver o seu negócio. Não se esqueça de levar o seu cartão de identificação ou passaporte, o novo nome da sua empresa (também pode selecionar um no local) e 360​​,00 euros pela taxa de inscrição.

5. Onde posso encontrar outras startups como a minha com quem interagir?

Uma das vantagens de se trabalhar em Portugal é a facilidade e simpatia com que o ecossistema de startups atua. Há um forte companheirismo e apoio entre as várias startups, o que facilita a interação entre elas. Se o seu objetivo é localizar ou conectar-se com uma incubadora, aceleradora local ou outras startups, então o Startup Hub é a ferramenta ideal. Este portal online permite aos empreendedores, fundadores e investidores identificar e localizar startups e incubadoras, comparar iniciativas públicas e privadas de promoção do empreendedorismo e ter uma visão mais completa do ecossistema empreendedor português. Esta é uma ferramenta que pode usar para suas necessidades futuras de parcerias, interação e promoção.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Um artigo do parceiro

A Startup Portugal, responsável pela promoção da estratégia nacional para o empreendedorismo, desenvolve iniciativas próprias que suportam as startups desde a fase da ideia à fase de implementação e internacionalização. Agora, une-se ao SAPO24 e ao The Next Big Idea para trazer semanalmente uma série de artigos sobre tendências e notícias à volta do mundo das startups e não só.