“A AHRESP vai enviar de imediato ao Governo uma proposta de novas medidas que visam proteger as empresas e o emprego nos próximos meses”, lê-se no boletim diário da associação.

A proposta da AHRESP tem em vista, por exemplo, o reforço dos apoios a fundo perdido e a intensificação do programa de apoio às rendas.

Para a AHRESP, tendo em conta as novas restrições hoje anunciadas pelo primeiro-ministro, António Costa, perante o agravamento da pandemia de covid-19, “impõe-se um novo quadro de apoio às empresas de restauração, similares e do alojamento local”.

As empresas de restauração, bares e cafés terão que voltar a fechar as portas, a partir de 15 de janeiro, funcionando apenas com ‘take-away’ e entregas ao domicílio.

O dever de recolhimento entra, novamente, em vigor e o teletrabalho passa a obrigatório, com coimas agravadas.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.963.557 mortos resultantes de mais de 91,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 8.236 pessoas dos 507.108 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.