Esta decisão envolve seis fábricas em Itália, uma na Sérvia e outra na Polónia, precisa a Fiat Crysler (FCA), numa altura em que já morreram mais de 1.800 pessoas devido ao Covid-19.

Segundo a agência italiana Radiocor, estas fábricas representam entre 30% e 35% da capacidade produtiva do construtor automóvel, que possui as marcas Fiat, Chrysler, Jeep, Maserati, Alfa Romeo, Dodge et Ram.

Na bolsa de Milão, este anúncio provocou a queda de 14% das ações da FCA para 7,10 euros.

“O grupo vai utilizar estas suspensões para pôr em marcha revisões de processos de produção e de controlo de qualidade em benefício dos clientes e da produtividade global”, precisa a FCA, que também vai aproveitar para desinfetar as fábricas.

Entretanto, os postos de trabalho administrativos da FCA já estão de forma generalizada a funcionar em regime de teletrabalho em todo o mundo, refere a empresa no comunicado.

No início de fevereiro, a FCA, que se vai juntar ao grupo francês PSA, anunciou que em 2019 os resultados líquidos tinham atingido 2,7 mil milhões de euros, menos 19% que em 2018, e as vendas 108,18 mil milhões de euros, menos 2% que no ano anterior.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.