“A partir de 4 de junho, a Transavia voa de Amesterdão para seis destinos: em Portugal (Faro e Lisboa), Grécia (Atenas, Heraklion e Tessalonica) e Espanha (Málaga)”, refere a companhia aérea em comunicado, lembrando que todas as semanas “avaliará e decidirá” sobre a reabertura de outros voos e destinos.

O presidente executivo da Transavia, Marcel de Nooijer, reportando-se ao recomeço do programa de voos, disse que a transportadora tem “o prazer de poder oferecer novamente aos passageiros uma perspetiva de voo saudável e segura neste período desafiante para todos”.

“A situação muda todos os dias e um voo saudável e seguro é e continua a ser o nosso mais importante ponto de partida”, explicou o gestor.

“Não obstante, encontrámos um bom equilíbrio entre as medidas existentes por país, as opções de entrada e os desejos dos passageiros”, realçou, lembrando que “não é preciso dizer" que também foram tomadas "medidas extra para tornar o voar o mais seguro possível”.

No comunicado, a Transavia refere que as “restrições mais rigorosas” foram levantadas em Portugal e que a partir de 4 de junho, vai “retomar lentamente” a atividade com vários voos de/para Faro e Lisboa.

Em relação a Espanha, diz que este país tem um 'código laranja' e pede aos viajantes para serem colocados em quarentena durante duas semanas após a chegada.

“Apesar dessas restrições, alguns dos nossos viajantes pretendem viajar para Espanha para visitas familiares ou desfrutar das suas segundas casas”, esclarece no comunicado, adiantando que a empresa também quer oferecer a esses passageiros a oportunidade de viajar, pelo que começará com alguns voos para Málaga.

E prossegue: “Com base na nossa experiência durante este período, vamos ver se é possível voar para mais destinos em Espanha”.

Quanto à Grécia, refere que este país proíbe a entrada de holandeses até 31 de maio, pelo que tendo em consideração os relatórios, a empresa assumiu que as restrições “vão ser levantadas posteriormente” e alerta os passageiros cujos voos forem cancelados para o facto de virem a ser notificados nos próximos dias.

Sobre as operações da Transavia France, a companhia refere que serão anunciadas em breve.

Reportando-se ao risco de “contaminação acidental” nos aviões, a Transavia garante que “é baixo”, e explica que as modernas aeronaves com que voa estão equipadas com filtros de ‘Partículas de Ar de Alta Eficiência’ que garantem ar limpo de alta qualidade na cabina, com alto grau de circulação de ar.

A partir de 4 de junho, a Transavia diz que os passageiros e tripulação vão usar máscaras (boca e nariz) em todos os voos, o que “reduzirá ainda mais o já baixo risco”.

“Os passageiros devem garantir que possuem a proteção facial necessária (máscaras de boca e nariz, tais como as não médicas, enquanto a tripulação de cabine também usará proteção facial”, lê-se no comunicado.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.