"De acordo com os resultados provisórios obtidos neste exercício, em 2021 o saldo das Administrações Públicas (AP) atingiu -5.977,1 milhões de euros, o que correspondeu a -2,8% do PIB (-5,8% em 2020)", refere o Instituto Nacional de Estatística (INE).

O Governo estimava, na proposta do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) que foi chumbada, entregue em outubro, um défice de 4,3% do PIB, mas o Ministério das Finanças já antecipava que o défice em contabilidade nacional, a que conta para as comparações internacionais, deveria fixar abaixo da meta prevista.

Governo revê em baixa défice para este ano para 1,9% do PIB

"Para o ano corrente (2022), as estimativas da capacidade/necessidade líquida de financiamento, da dívida bruta e do PIB nominal são da responsabilidade do Ministério das Finanças, tendo por base o cenário macroeconómico e orçamental que será apresentado no Programa de Estabilidade de 2022", refere a nota do INE.

O INE divulgou hoje que o défice das Administrações Públicas, em contabilidade nacional, caiu para 2,8% do PIB em 2021, abaixo da meta oficial do Governo de 3,2%, depois de ter disparado para 5,8% em 2020.

Portugal já cumpriu as regras de disciplina orçamental em 2021, apesar de se manterem suspensas, e o Governo espera uma redução do défice este ano 1,3 pontos percentuais mais baixa do que estimava em outubro.

As novas previsões do Governo passam a ser das mais otimistas entre as projeções conhecidas, apenas superadas pela estimativa de 1,6% do PIB do Conselho das Finanças Públicas, que, contudo, fez cálculos num cenário de políticas invariantes. Já o Fundo Monetário Internacional prevê um défice de 3% do PIB e a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico de 2,4%.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.