Segundo refere o Banco de Portugal (BdP) em comunicado, em março de 2021 o endividamento do setor não financeiro situou-se em 753.179 milhões de euros, dos quais cerca de 346.300 milhões de euros respeitavam ao setor público e 406.900 milhões de euros ao setor privado.

De acordo com o banco central, o aumento de 1.780 milhões de euros face a fevereiro resultou do incremento de 700 milhões de euros do endividamento do setor público e de 1.100 milhões de euros do endividamento do setor privado.

O aumento do endividamento do setor público “resultou, sobretudo, do acréscimo do endividamento face ao exterior (1.300 milhões de euros), parcialmente compensado pela redução do endividamento face às próprias administrações públicas (600 milhões de euros).

Segundo o BdP, “o aumento do endividamento do setor privado proveio do acréscimo de 700 milhões de euros no endividamento das empresas e de 400 milhões de euros dos particulares”.

“Ambos os aumentos resultaram, sobretudo, da subida do endividamento face ao setor financeiro”, acrescenta.

Em março de 2021, a taxa de variação anual (tva) do endividamento total das empresas privadas foi de 3,1%, mais 1,3 pontos percentuais do que o verificado no mês anterior, enquanto a tva do endividamento total dos particulares subiu 0,4 pontos percentuais, para 1,4%.

A próxima atualização das estatísticas do endividamento do setor não financeiro será feita pelo BdP em 23 de junho.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.