A dívida global dos setores público e privado atingiu um montante inédito de 188 biliões de dólares, ou seja, 230% do Produto Interno Bruto mundial, indicou a dirigente do FMI numa conferência sobre a dívida.

A dívida cresceu 14,6% em comparação com a estimativa de abril de 2018 do FMI (164 biliões de dólares).

"O setor privado é um dos principais agentes desta acumulação, representando atualmente perto de dois terços do nível total da dívida", disse Georgieva, citada pela AFP.

A diretora-geral do FMI afirmou também que a dívida pública das economias avançadas está em níveis inéditos desde a Segunda Guerra Mundial.

"A dívida pública dos mercados emergentes atingiu os níveis registados durante a crise da dívida dos anos 80 e o peso da dívida nos países mais frágeis aumentou bastante nos últimos cinco anos", apontou.

Apesar de os créditos bancários e outros terem um papel essencial para a prosperidade, ajudando as famílias a adquirir habitação e as empresas a investirem, "um endividamento elevado não representa apenas um risco para a estabilidade financeira, pode tornar-se um entrave para o crescimento", avisou.

Georgieva defendeu que deve haver mais transparência nas práticas que envolvem empréstimos.

"Em muitos países é possível reforçar de forma significativa as instituições que registam, supervisionam e declaram a dívida", afirmou.

A nova líder do FMI exortou também a "uma melhor colaboração entre países devedores e credores".

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.