"A três dias da entrega do Orçamento do Estado para 2017 [OE2017], não posso dizer coisas que me apeteceriam dizer. Isso vale para o tema do imposto imobiliário. Este imposto está a ser estruturado para que o essencial do investimento não seja afetado de forma significativa", afirmou o governante, num almoço-debate organizado pelo International Club of Portugal.

Questionado sobre o novo imposto sobre o património imobiliário, Pedro Marques realçou que o Governo está "atento ao investimento na construção do imposto em causa" até porque compreende "plenamente a importância do investimento no país".

"Já devem ter ouvido dizer tudo, desde que começaram as fugas para a imprensa. Não estamos a construir este instrumento de forma maquiavélica, de alguém que quer dar cabo do investimento ou dos investidores. Antes pelo contrário, está estruturado de forma a que o essencial não seja afetado de forma significativa", acrescentou.

Às várias questões da plateia sobre as medidas previstas no OE2017, o ministro escusou-se a dar resposta, argumentando que "o documento só está fechado, quando for entregue".

O Bloco de Esquerda (BE) e PS anunciaram um princípio de acordo para a criação de um novo imposto com incidência em património imobiliário de elevado valor, que agora deverá estar incluído na proposta de OE2017.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.