Segundo o documento, hoje entregue no parlamento, à CP – Comboios de Portugal vão ser entregues 1,8 milhões de euros como “financiamento de material circulante e bilhética” (provenientes do Ministério do Planeamento e Infraestruturas), enquanto o Metropolitano de Lisboa e o Metro do Porto recebem, cada um, 1,7 milhões do Ministério do Ambiente.

No caso do Metro do Porto, trata-se de “financiamento para infraestruturas de longa duração” e, no de Lisboa, está em causa a “remodelação e reparação da frota”.

Também do Ministério do Ambiente saem 1,455 milhões para as rodoviárias STCP – Sociedade de Transportes Coletivos do Porto e 800 mil euros para a Carris (que opera na Grande Lisboa).

O objetivo é a remodelação e reparação da frota em ambas as empresas, que no próximo ano vão ficar sob gestão municipal.

Por isso, as suas contas já não constam deste Orçamento do Estado.

A Administração dos Portos de Douro, Leixões, Viana do Castelo vai receber quatro milhões de euros do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural (que tutela as Pescas) e do Ministério do Mar.

A verba destina-se a financiar infraestruturas, equipamentos portuários e acessibilidades.

Estes dois ministérios vão também apostar em “infraestruturas e reordenamento portuário” no porto da Figueira da Foz, com 500 mil euros.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.