O Banco Santander anunciou hoje a aquisição de 100% do Banco Popular por um euro, após o Banco Central Europeu ter constatado a inviabilidade da instituição de forma independente e a fim de garantir a segurança dos depositantes do Popular.

Em comunicados separados, o Fundo de Reestruturação Ordenada Bancária (FROB) e o próprio Santander indicam que a compra ocorre depois de um processo competitivo de venda organizado “no âmbito de uma medida de resolução”, adotado pelo Conselho Único de Resolução europeu e executado pelo FROB.

Como parte da operação, o Santander tem previsto realizar um aumento de capital de aproximadamente 7.000 milhões de euros, “que cobrirá o capital e as provisões necessárias para reforçar o balanço do Banco Popular”, segundo um comunicado enviado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

"A decisão tomada hoje salvaguarda os depositantes e as funções críticas do Banco Popular. Isto mostra que os instrumentos dados às autoridades de supervisão depois da crise são efetivas para evitar o uso do dinheiro dos contribuintes no resgate a bancos", afirma Elke König, presidente do Conselho Único de Resolução, no comunicado hoje divulgado.

A negociação das ações do Banco Popular foi suspensa depois do anúncio.

A medida de resolução determinada pela autoridade europeia de resolução beneficiou da cooperação com a autoridade de supervisão competente.

O Conselho Único de Resolução (CUR), criado em 2015, é um elemento central da União Bancária e do seu Mecanismo Único de Resolução. Compete-lhe garantir a resolução ordenada dos bancos insolventes, com um impacto mínimo na economia real e nas finanças públicas dos países da UE participantes, entre outros. São seus parceiros o Parlamento Europeu, a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu (BCE), as Autoridades de Resolução Nacionais (NRA) e a Autoridade Bancária Europeia (EBA).

As ações do Banco Popular estão em queda há já uma semana e o Banco Central Europeu tinha já alertado para o risco de insolvência da instituição.

Sucursal em Portugal também é vendida ao Santander

O Banco de Portugal,  num comunicado emitido esta manhã, clarifica a operação. "A filial portuguesa do Banco Popular Español – o Banco Popular Portugal, S.A. – não foi objeto de qualquer medida de resolução e está incluída no perímetro de venda, pelo que passa a integrar o grupo do Banco Santander", pode ler-se no documento.

Para o Banco Popular Portugal, "esta medida não implica qualquer alteração na atividade do banco português, que continua a operar com total normalidade, agora integrado num novo grupo bancário".

Desta forma, esclarece o documento divulgado esta quarta-feira pelo Banco de Portugal, "esta solução não contempla financiamento por parte de organismos nacionais e protege as poupanças confiadas ao Banco Popular Portugal, assegura a continuidade dos serviços prestados em Portugal e do financiamento à economia".

[Notícia atualizada às 07h44]

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.