Segundo o pré-aviso, a que a agência Lusa teve acesso, a greve vai decorrer por um período de 48 horas, com início às 01:30 de 13 de maio e fim à mesma hora de dia 15 de maio.

Os trabalhadores vão fazer greve também ao trabalho suplementar prestado em dia útil, em dia de descanso semanal e em dia de descanso semanal complementar, previsto no mesmo período.

Entre os motivos para avançar com a greve, o SITAVA salienta a “acentuada degradação das condições de trabalho” em resultado da falta de atualizações salariais entre 2010 e 2015.

Por outro lado, segundo o SITAVA, o sistema de remuneração variável de acordo com objetivos comerciais proposto pela empresa é “de grande ambiguidade” e não dá resposta às reivindicações dos trabalhadores.

O sindicato sublinha ainda que a empresa comunicou a necessidade de deslocar para Alverca parte das suas atividades, o que envolve cerca de 100 trabalhadores, sem que ainda sejam conhecidos os critérios a aplicar.

O SITAVA entende que tem evitado posições mais extremadas, mas salienta a “grande indignação e desapontamento” dos trabalhadores pelo “não reconhecimento das dificuldades por que passam”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.