“Dentro daquilo que são reservas já efetuadas, mas também a expectativa de reservas de última hora, a perspetiva é muito boa”, afirmou André Gomes, que acredita que, até ao final do ano, o Algarve vai atingir os 20 milhões de dormidas.

Ainda que a mais de três semanas de distância, e sem dados rigorosos sobre reservas, o dirigente abordou, em declarações à Lusa, a expectativa “muito positiva” para o ‘réveillon’ algarvio face ao ‘feedback’ recolhido junto das associações representativas do setor e de alguns hoteleiros.

“Alguns agentes disseram que trabalharam muito bem este período de final de ano. Na semana passada, estive com um ou dois hoteleiros e um deles, por exemplo, dizia-me que estava completamente cheio já para o fim de ano”, apontou o presidente do Turismo do Algarve.

Esta expectativa, acrescentou, existe igualmente devido à boa afluência do mercado nacional que o setor hoteleiro algarvio já registou no feriado de 1 de dezembro, no primeiro de quatro fins de semana prolongados ao longo do mês.

“Começou logo no início do mês e até ao final do mês temos, salvo erro, quatro fins de semana prolongados, por conta dos feriados e das festas. E isto, de facto, é aquela oportunidade que nós temos referido muitas vezes que faz com que os turistas nacionais venham para o Algarve”, sublinhou André Gomes.

A procura do mercado nacional é “mais forte e mais premente” no período festivo, ainda que muito sujeita a marcações de última hora, tendo em conta o clima e as motivações de visita proporcionadas por hotelaria e autarquias, considerou.

O responsável destacou Portimão e Albufeira entre as principais “motivações de visita, com aldeias de natal, animação para crianças e um sem número de iniciativas”.

Outros municípios apresentam uma oferta tradicional relacionada com o fim de ano e Natal, como o presépio de Vila Real de Santo António, e um presépio de sal, em Castro Marim, exemplificou.

Está igualmente previsto um concerto da Orquestra do Algarve, com o maestro Martim Sousa Tavares, na zona de chegadas do Aeroporto Gago Coutinho, em Faro, no dia 21 de dezembro, com entrada livre.

Além dos mercados estrangeiros emissores habituais, como o britânico e o irlandês, André Gomes frisou que o Algarve regista um “crescimento muito grande” dos mercados norte-americano, italiano e francês, que deverá continuar a ter sequência na época festiva.

Perante estes dados, o responsável acredita que a ocupação hoteleira no Algarve na passagem de ano vai subir em comparação com o ano passado, acompanhando o ”nível de crescimento” verificado entre janeiro e outubro de 2023.

Durante aquele período, o Algarve registou mais hóspedes (mais 7,2%), mais dormidas (mais 6,1%) e mais proveitos globais (11%) do que no período homólogo de 2022.

“Estamos perto de chegar à fasquia dos 20 milhões de dormidas e eu estou em crer que, até final do ano, vamos atingir esse número, fazendo deste o melhor ano de sempre em termos turísticos na região”, concluiu o presidente da RTA.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.