Como outras empresas do setor, a Toyota, o segundo maior fabricante de veículos do mundo, depois do grupo Volkswagen, foi forçada a reduzir a sua produção devido à diminuição da procura na sequência do surto da covid-19, cujos efeitos se começaram a notar em fevereiro em mercados como a China, embora em março tenha tido uma extensão global.

Os dados fornecidos hoje pela empresa japonesa indicam que em março, a nível global, a Toyota vendeu um total de 779.151 veículos de todas as suas marcas, uma redução de 22,6% em relação a março de 2019.

As vendas de veículos da marca Toyota caíram 23,8%, enquanto as da Daihatsu e Hino caíram, respetivamente, 10,7 e 24,0%.

Segundo o grupo, as vendas de veículos do grupo Toyota fora do Japão diminuíram 29,3%.

No primeiro trimestre, o grupo Toyota vendeu um total de 2,32 milhões de veículos em todo o mundo, 11% a menos do que no período homólogo de 2019. As vendas fora do Japão diminuíram 12,4% em relação aos meses de janeiro a março do ano passado.

No primeiro trimestre, a produção mundial caiu 12,0%, para 2,40 milhões de veículos.

Por país, nos Estados Unidos, o seu principal mercado, a Toyota vendeu 135.730 veículos em março, uma queda de 36,9% em relação ao mesmo mês de 2019, e no primeiro trimestre acumulou uma queda de 8,8%.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.