No Cristina Talks, a apresentadora julgou que, recorrendo a uma historieta sobre os seus Louboutin, iria motivar uma plateia repleta daqueles que ela considera serem uns pés-descalços. Onde muitos só encontrariam uma pedra, Cristina encontrou Nossa Senhora. Aparentemente, a Virgem fartou-se da Cova da Iria e mudou-se para os closets das celebridades portuguesas. "Uns sapatos de 500 euros, mais do que muitos de vocês ganham". O salário mínimo é 760 euros, mas tudo bem. Vê-se que Cristina está a par da realidade sócio-económica portuguesa. De 2004, claro. Depois de Kanye West, é Cristina Ferreira a mostrar que uma pessoa pode ter sapatos caros e ainda assim estar sempre a escorregar.

Ainda assim, não lhe faltam lambe-botas, que dizem que devíamos caminhar um dia nos seus sapatos. Eu recuso-me, pois são muito caros e não tenho desenvoltura física para usar saltos. Por outro lado, este episódio vem desmentir os detratores de Cristina Ferreira: muitos diziam que o pé da apresentadora tinha tendência para fugir para o chinelo, afinal é para os Louboutin. Os portugueses não a merecem - não lhe chegam à sola dos sapatos. Com exceção, claro, daqueles dos quais ela fez gato-sapato, convencendo a pagar para assistir ao Cristina Talks. Segundo autoridades académicas no ramo da teologia, estamos perante o advento da Cristinologia. É uma espécie de Cientologia, só que em vez de Tom Cruise, terá em Zé Lopes o seu membro mais célebre. O local de culto é a Malveira, o número simbólico é o 760, as rezas são ditas aos berros e as confissões são feitas ao domingo à noite numa gala de excomunhão.

Não sou fashionista o suficiente para avaliar os Louboutin da apresentadora, mas sou um grande entusiasta dos saltos lógicos de Cristina. Os seus discursos motivacionais penso que não motivam nem a própria Cristina - este sobre o calçado abençoado foi tão entediante que suspeito de que ela possa padecer de pé chato. Cristina Ferreira não precisa daqueles sapatos para nada, mas poderia ser útil que investisse numas chuteiras com pitons. Pelo menos, aderem bem - ao chão e à realidade. Por outro lado, talvez seja melhor que passe a andar descalça - ténis são só mais um peso que a impede de voar. Cristina devia saber que, sempre compra sapatos, está a desperdiçar recursos. Para quê gastar dinheiro em calçado quando se é alguém que deixou de ter os pés assentes na Terra?

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.