Nesta semana que encerra o ano, os canais de televisão em sinal aberto têm por hábito transmitir cinema. Dos clássicos natalícios às recentes produções de animação para toda a família, os feriados do dia de Natal e do Ano Novo e os dias que os medeiam são marcados pela exibição de várias películas que dispõem bem os lares nacionais. Ontem não foi exceção, mas certamente terá havido um erro na programação da grelha: uma comédia de domingo à tarde foi transmitida nos noticiários de segunda à noite.

Como era o enredo? Não, não girava em torno de um casal com muitas diferenças e algumas semelhanças cujas desavenças originam trapalhadas várias que culminarão num final feliz. Ou talvez sim. O que aconteceu foi que a GNR e a PSP de Évora se desentenderam em relação a quem é que fazia a distribuição da vacina contra a covid-19 no sul do país. E o leitor pergunta, “sim, mas isso não teve nenhum efeito negativo na imensamente complexa empreitada logística que é a distribuição da vacina mais desejada de sempre, logo no primeiro dia, pois não?” Teve. Atrasou o processo até as duas irmãs decidirem rasgar a boneca ao meio, que é como quem diz optarem pela escolta partilhada. Tendo em conta que a vacina é daquelas que tem de estar a baixas temperaturas, espero que, no meio do impasse, tenham ido buscar aqueles sacos para os congelados ao Intermarché.

Atenção, isto não pode ser propriamente descrito como uma confusão entre a PSP e a GNR. A GNR estava encarregue da escolta ao transporte daquelas vacinas. A PSP é que julgou por bem fazer uma operação STOP à operação de vacinação. Pode ser tentador para o governo castigar os dois filhos, mas parece-me que aqui foi a PSP que começou. É a PSP que merece que esta sua ação entre no anedotário nacional, não só por uma questão de justiça, como de proporcionalidade: sabemos que há muito mais anedotas sobre militares da GNR. 

Há problemas de jurisdição? A minha proposta é a criação da Polícia das Jurisdições, que policia se as polícias respeitam a sua jurisdição; da Polícia da Polícia das Jurisdições, que policia se a Polícia das Jurisdições respeita a jurisdição da polícias cujas jurisdições policia e da Polícia da Polícia da Polícia… vocês perceberam. Agora, e quanto à ideia de fundirmos a GNR e a PSP, porque efectivamente cumprem o mesmo propósito, simplesmente têm cores favoritas diferentes? Bom, isso já não sei. Em princípio, cria problemas de jurisdição.

Recomendações

Esta série.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.