João Cadete de Matos, que falava num encontro com jornalistas em Lisboa, adiantou que as três operadoras Dense Air, NOS e Vodafone Portugal “foram as primeiras a pagar” pelo espectro obtido no leilão 5G e “pagaram a totalidade”.

O regulamento do leição prevê que as empresas possam pagar 50% do valor agora e a metade remanescente ao longo de sete anos, sempre com a possibilidade de em cada ano antecipar o pagamento.

Estas três empresas pagaram logo que foi possível o espectro ganho e na sua totalidade.

As operadoras que pagaram 50% foram a Dixarobil Telecom, a Nowo e a Meo/Altice Portugal.

“O que significa que do ponto de vista de encaixe do Estado este ano vai ser um número interessante, 410 milhões de euros”, afirmou João Cadete de Matos.

Ou seja, “este ano já se recebeu 410 milhões [de euros], se tivessem pago apenas os 50% todos só se teria recebido 283 milhões”, acrescentou.

O leilão 5G, que durou mais de nove meses, sendo que só na fase principal durou mais de 200 dias e 1.727 rondas, terminou em 27 de outubro, tendo seis operadores ganhado espectro da tecnologia de quinta geração.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.