A fonte, que estará disponível em 23 idiomas diferentes, foi desenvolvida simultaneamente para caracteres latinos e árabes, e estará disponível através de um software desenvolvido pela Microsoft, que poderá vir a ser utilizado por quase 100 milhões de utilizadores em todo o mundo.

O príncipe Hamdan bin Mohammed Al Maktoum pediu a todas as instituições governamentais para que adoptem imediatamente a nova fonte nas suas correspondências oficiais.

O Conselho Executivo de Dubai, presidido pelo príncipe Hamadan, indicou que a fonte reflete a "visão" dos Emirados Árabes Unidos para "se converter num líder regional e global na área da inovação".

"É a primeira fonte desenvolvida por uma cidade e que adota o seu nome", disse o secretário-geral do Conselho Executivo, Abdullah al-Shaiban, em conferência de imprensa.

Dubai, que tem a torre mais alta e o maior centro comercial de todo o Médio Oriente, tem investido nos últimos anos na tecnologia e na cultura, para mudar a imagem do país. No ano passado, inclusive, chegou a nomear um ministro da Felicidade.

Em 2016, o Dubai recebeu quase 14,9 milhões de turistas, e é tido como o mais liberal dos sete Emirados Árabes Unidos, para além de ser considerado aquele que menos depende do investimento da indústria petrolífera.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.